Oleoduto entre Rússia e China é inaugurado

Em Mohe, no nordeste da China, os tanques de petróleo e o oleoduto que liga a Rússia à China
Image caption Oleoduto vai da Rússia até o nordeste da China

O primeiro oleoduto ligando o maior produtor de petróleo do mundo, a Rússia, e o maior consumidor de energia, a China, iniciou suas operações.

O oleoduto, que cruza 2,7 mil quilômetros entre a Sibéria e a província de Daqing, no nordeste da China, vai permitir o aumento do comércio de petróleo entre os dois países. Até a inauguração, o petróleo russo chegava à China por trem.

E antes desta obra, a rede de oleodutos da Rússia, concentrada no oeste da Sibéria, se dirigia apenas para a Europa.

Com o novo oleoduto, a Rússia agora deve exportar 15 milhões de toneladas de petróleo por ano durante as próximas duas décadas, cerca de 300 mil barris por dia.

Empréstimos

A Rússia ultrapassou a Arábia Saudita como maior produtor de petróleo do mundo em 2009. A China, por sua vez, ultrapassou os Estados Unidos como maior consumidor de energia do mundo em 2010.

O projeto custou US$ 25 bilhões e parte do oleoduto foi financiada por empréstimos chineses.

"A operação do oleoduto China-Rússia é o início de uma nova fase na cooperação energética entre a China e a Rússia", afirmou Yao Wei, gerente-geral do Setor de Oleodutos da Petro China, na inauguração do oleoduto. Wei apertou o botão que iniciou o fluxo de petróleo no oleoduto.

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, afirmou em 2010 que o oleoduto iria servir para diversificar as exportações da Rússia.

A segunda parte da construção do oleoduto deve ser finalizada em 2014 e, com esta extensão, a obra deve chegar a 4,7 mil quilômetros.

Notícias relacionadas