Iraquiano é acusado de atropelar e matar filha 'americanizada'

Faleh Almaleki em foto da polícia / Outubro de 2009
Image caption Faleh Almaleki, 50, pode ser condenado até à prisão perpétua

Um iraquiano acusado de atropelar e matar a própria filha por considerá-la "americanizada" e "imoral" vai a julgamento nos Estados Unidos.

A morte da jovem Noor Almaneki, em outubro de 2009, chocou o Estado do Arizona. Noor tinha 20 anos.

Segundo a acusação, Faleh Almaleki, de 50 anos, decidiu matar a filha depois que ela abandonou a casa da família e recusou um casamento acertado com o primo.

A família havia se mudado do Iraque para a cidade de Glendale nos anos 1990.

O jornal local de Phoenix <i>New Times</i> disse que o pai desaprovava o estilo independente e "americanizado" da jovem.

Embora fosse fluente em árabe e se orgulhasse de suas origens árabes, Noor vestia calça jeans, usava maquiagem, trocava de namorados e inclusive havia feito fotos como modelo, relatou o jornal.

No auge dos desentendimentos familiares, a jovem saiu de casa para morar com a família do namorado. Testemunhas e amigos disseram que desde então o pai não parava de assediar a moça.

No dia 20 de outubro de 2009, usando seu jipe Cherokee como arma, Faleh atropelou a filha e a mãe de seu namorado em um estacionamento no vilarejo de Peoria.

Noor morreu poucos dias depois, no hospital; a sogra sobreviveu.

O iraquiano fugiu para o México e de lá tomou um voo para a Grã-Bretanha, mas foi preso e deportado ao desembarcar em território britânico.

O crime despertou a atenção da comunidade e gerou protestos de grupos de direitos humanos, que pediram justiça contra os chamados "crimes de honra", normalmente cometidos por parentes para "limpar a honra" da família.

Segundo os jornais locais, a procuradoria decidiu não pedir a pena de morte para Faleh, mas ele pode ser condenado à prisão perpétua pelo crime.

O julgamento do iraquiano terá início no dia 18, na Corte Superior do condado de Maricopa.

De acordo com o <i>Peoria News</i>, Faleh responderá por assassinato e tentativa de assassinato em primeiro grau, lesão corporal grave e tentativa de fuga após acidente com feridos.

Notícias relacionadas