EUA enviarão mais 1,4 mil militares ao Afeganistão

Soldados americanos no Afeganistão (arquivo)
Image caption Novo contingente de fuzileiros navais deve partir para o Afeganistão dentro de algumas semanas

Uma autoridade do Pentágono informou nesta quarta-feira que os Estados Unidos vão enviar mais 1,4 mil fuzileiros navais para o sul do Afeganistão para enfrentar uma ofensiva do Talebã.

Os fuzileiros estão sendo avisados do envio e devem viajar para o Afeganistão dentro de algumas semanas.

O secretário de Defesa americano, Robert Gates, "aprovou forças adicionais dos fuzileiros para o sul do Afeganistão para explorar e consolidar os ganhos já conquistados e pressionar o inimigo durante a campanha de inverno", disse o porta-voz do Departamento de Defesa, coronel Dave Lapan.

ELe afirmou ainda que o contingente deve participar de uma missão curta, de cerca de 90 dias.

Mais soldados

Há um ano, o presidente americano, Barack Obama, aprovou um aumento de 30 mil soldados no contingente do Afeganistão e deu a Gates a permissão para aumentar este número em mais 3 mil soldados se fosse necessário.

Atualmente, os Estados Unidos têm 97 mil soldados no Afeganistão, juntamente com outros 45 mil militares de outros países. Autoridades afirmam que o novo contingente de fuzileiros navais não vai colocar o número total de forças americanas acima do limite de 100 mil - número autorizado por Obama.

Depois da divulgação da revisão anual de estratégia dos Estados Unidos, em dezembro, Obama afirmou que o país está no "caminho" para alcançar seus objetivos no Afeganistão.

Segundo o documento, os EUA conseguiram o progresso necessário para iniciar uma "redução responsável" das forças em julho de 2011.

No entanto, ele também afirma que as vitórias contra o Talebã obtidas com o aumento do contingente americano no Afeganistão continuam "frágeis e reversíveis".

Os Estados Unidos planejam encerrar as operações de combate em 2014 e transferir a responsabilidade da segurança do país para os afegãos.

Notícias relacionadas