Deputada democrata é baleada no Arizona

Image caption Gabrielle Giffords participava de um evento político quando foi alvejada

A deputada federal americana Gabrielle Giffords, de 40 anos, foi baleada neste sábado durante um evento público em Tucson, no Estado do Arizona, em um ataque que deixou pelo menos seis mortos e 12 feridos - vários em estado grave, segundo a polícia local.

Giffords foi atingida com um tiro na cabeça e levada para o Centro Médico Universitário de Tucson, a cerca de 15 quilômetros do local, onde foi submetida a uma cirurgia.

Segundo um porta-voz do hospital, até o fim da tarde ela permanecia em estado crítico, mas os médicos estavam “otimistas” sobre suas perspectivas de recuperação.

Um homem de 22 anos foi preso após o incidente. De acordo com a polícia, um dos mortos é uma criança.

Em um comunicado, o presidente Barack Obama disse que o incidente é uma “tragédia indescritível”.

“Um ato de violência terrível e sem sentido como esse não tem espaço em uma sociedade livre”, disse Obama, que confirmou a morte de ao menos cinco pessoas.

Estrela

Considerada uma estrela em ascensão no Partido Democrata, do presidente Obama, Giffords foi reeleita para seu terceiro mandato nas eleições legislativas de novembro.

Segundo testemunhas citadas pela imprensa local, a deputada foi baleada em frente a dezenas de pessoas, diante de um supermercado da rede Safeway, onde promovia um evento político chamado “Congress on your Corner” (O Congresso na sua esquina, em tradução livre), em que se encontrava regularmente com a população.

Desde que assumiu seu primeiro mandato na Câmara dos Representantes (deputados federais), em janeiro de 2007, ela costumava organizar eventos desse tipo.

Em um desses encontros, em 2009, um manifestante chegou a ser retirado do local depois que sua arma caiu no chão. O encontro deste sábado era o primeiro desde que foi reeleita.

Reforma da saúde

Pertencente à ala centrista do Partido Democrata, Giffords defende os direitos de portadores de armas e o rigor na fiscalização da fronteira com o México para coibir a imigração ilegal, mas se opõe à nova lei de imigração do Arizona, que torna crime a presença de imigrantes ilegais.

A deputada desagradou aos conservadores de seu Estado, fortemente dominado pelo Partido Republicano, ao apoiar a reforma da saúde proposta por Obama e aprovada em março do ano passado em meio a forte oposição dos republicanos.

Logo após a aprovação da lei na Câmara, o escritório da deputada em Tucson foi vandalizado.

Uma das figuras mais populares do movimento conservador Tea Party, a ex-candidata republicana à vice-presidência Sarah Palin, chegou a incluir Giffords em uma lista de políticos que o movimento deveria tentar remover do poder nas eleições de novembro.

A disputa foi acirrada, e Giffords acabou reeleita com uma diferença de apenas 4 mil votos sobre seu adversário republicano, apoiado pelo movimento conservador Tea Party.

Nascida em Tucson, Giffords é casada com o astronauta Mark Kelly e foi a mulher mais jovem a ser eleita para o Senado do Arizona, aos 30 anos.

Notícias relacionadas