Radical xiita pede 'chance' ao governo do Iraque

Moqtada al-Sadr
Image caption Sadr adotou tom mais apaziguador, mas pregou resistência aos EUA

O clérigo xiita Moqtada al-Sadr pediu que o povo dê uma chance ao novo governo do Iraque durante um discurso para uma plateia empolgada no seu reduto de Najaf neste sábado.

Foi o primeiro discurso do radical religioso em solo iraquiano após quase quatro anos de auto-exílio no Irã.

"Este é um novo governo. Temos que dar-lhe a chance de provar que pode servir ao povo", afirmou, adotando um tom que alguns analistas classificaram de "estadista".

No mês passado, o grupo político liderado por Sadr fechou um acordo de coalizão com o novo governo, com sete ministérios e 39 cadeiras no Parlamento.

Apesar da postura aparentemente conciliatória em relação ao governo iraquiano, Moqtada al-Sadr não mudou o discurso antiamericanista contra os "invasores do Iraque".

"Não, não à América", bradou Sadr junto com a multidão antes do curto discurso.

'Resistência'

"Nós ainda somos guerrilheiros. Ainda estamos resistindo, resistimos à ocupação militarmente, culturalmente e de todos as outras formas de resistência."

No entanto, ele destacou que a luta armada é apenas para "o povo das armas".

"O governo do Iraque foi formado. Se ele servir ao povo iraquiano e oferecer-lhe seus serviços, o apoiaremos, não seremos contra."

Sadr acrescentou ainda que, caso o governo não sirva ao povo iraquiano, há meios políticos, "apenas políticos", para fazer reformas.

O religioso esteve envolvido em diversos episódios de enfrentamentos com tropas americanas e aliadas após a invasão de 2003.

Sadr voltou ao Iraque na quarta-feira. Na quinta-feira, ele esteve no local mais sagrado para muçulmanos xiitas, o mausoléu do Imã Ali.

Segundo analistas, apesar da ausência prolongada, Sadr não perdeu influência na comunidade xiita do Iraque.

O apoio da milícia de Sadr foi considerado fundamental para garantir o segundo mandato do presidente Nouri al-Maliki.

Notícias relacionadas