Mulher acusada de `crime do milk shake´ volta a julgamento

Americana nega ter agido de forma premeditada
Image caption Kissel admite ter matado o marido após colocar sedativos em sua bebida

Uma americana voltou a ser julgada nesta terça-feira em um tribunal de Hong Kong, depois de ter sido condenada pela morte de seu marido, um alto executivo do ramo financeiro.

Nancy Kissel, de 45 anos e mãe de três filhos, admitiu ter matado, em 2003, o investidor do banco Merrill Lynch Robert Kissel, com golpes dados com uma estatueta.

Antes de golpear o marido, Kissel havia colocado sedativos em um milk shake de morango que ele tomava.

O corpo de Robert foi enrolado em um carpete e escondido em um quarto da casa por funcionários de uma empresa de mudança.

No entanto, o mau cheiro do cadáver em decomposição denunciou o crime.

Vítima

Embora admita ter matado o marido, Nancy nega ter agido de forma premeditada. Ela alega ter sido vítima de um marido violento, com um histórico de abuso de drogas e álcool.

A defesa da americana afirma que algumas provas foram usadas indevidamente no processo original, e que a cobertura da mídia sobre o caso impediu que ela tivesse um julgamento justo.

Segundo a correspondente da BBC em Hong Kong Annemarie Evans, a história de Nancy Kissel despertou grande interesse no público local, por causa da mistura de assassinato, drogas e dinheiro.

A expectativa é que o novo julgamento dure cerca de 50 dias. O caso já inspirou pelo menos um livro e um filme.

Notícias relacionadas