Ciência

Competição premia tesouros escondidos da fotografia espacial

Galeria de Fotos: Tesouros escondidos do espaço

  • Foto: ESO/Igor Chekalin
    Um concurso da Organização Europeia para a Investigação Astronômica no Hemisfério Sul (ESO, na sigla em inglês) premiou belas imagens do espaço processadas por astrônomos amadores. Foto: ESO/Igor Chekalin
  • Foto: ESO/Igor Chekalin
    O vencedor, o russo Igor Chekalin, vai fazer uma visita ao gigantesco telecóspio da ESO em Paranal, no Chile. Foto: ESO/Igor Chekalin
  • Foto: ESO/Sergey Stepanenko
    A competição batizada de Hidden Treasures, ou tesouros escondidos, permitiu que entusiastas pesquisassem os vastos arquivos de imagens de telescópios da ESO à procura de astros ocultos. Foto: ESO/Sergey Stepanenko
  • Foto: ESO/Andy Strappazzon
    Para transformar esse material bruto em preto e branco nas belas imagens vencedoras foram necessárias muitas horas de trabalho. Foto: ESO/Andy Strappazzon
  • Foto: ESO/Joseph DePasquale
    Os astrofotógrafos amadores tiveram de corrigir distorções, retirar marcas geradas pelo instrumento e realçar detalhes contidos nas informações astronômicas. Foto: ESO/Joseph DePasquale
  • Foto: ESO/Manuel Mejias
    Os organizadores do concurso da ESO se surpreenderam ao receber quase cem imagens feitas por astrofotógrafos amadores, uma quantidade alta dada a natureza complexa do desafio. Foto: ESO/Manuel Mejias
  • Foto: ESO/Igor Chekalin
    Esta foto tirada por Igor Chekalin mostra a poeira da nebulosa de Órion, a 1,5 mil anos-luz do Sistema Solar. Foto: ESO/Igor Chekalin
  • Foto: ESO/Sergey Stepanenko
    A ESO é uma organização intergovernamental sediada na Alemanha e financiada por 14 países europeus e pelo Brasil. Foto: ESO/Sergey Stepanenko
  • Foto: ESO/Manuel Mejias
    O aglomerado Hydra contém 157 galáxias e fica a 840 milhões de anos-luz da Terra. Foto: ESO/Manuel Mejias
  • Foto: ESO/Joseph DePasquale
    A nebulosa NGC 3582 fica dentro da região formadora de estrelas RCW 57. Foto: ESO/Joseph DePasquale

Um concurso da Organização Europeia para a Investigação Astronômica no Hemisfério Sul (ESO, na sigla em inglês) premiou belas imagens do espaço processadas por astrônomos amadores.

A competição batizada de Hidden Treasures (Tesouros Escondidos, em tradução livre) permitiu que entusiastas pesquisassem os vastos arquivos de imagens registradas por meio de telescópios da ESO à procura de astros ocultos.

Para transformar esse material bruto em preto e branco nas belas imagens vencedoras foram necessárias muitas horas de trabalho, corrigindo distorções, retirando marcas geradas pelo instrumento e realçando detalhes contidos nas informações astronômicas.

Os organizadores do concurso da ESO se surpreenderam ao receber quase cem imagens feitas por amadores, uma quantidade alta dada a natureza complexa do desafio.

O vencedor, o russo Igor Chekalin, vai fazer uma visita ao gigantesco telescópio da ESO em Paranal, no Chile.

"Como um astrofotógrafo amador, este foi o trabalho de processamento de imagens mais difícil que já fiz. Minha participação na competição me apresentou diversos desafios, desde a instalação de software até o estudo de técnicas e a operação de sistemas que não conhecia antes", disse Chekalin.

A ESO é uma organização intergovernamental sediada na Alemanha e financiada por 14 países europeus e pelo Brasil.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.