Brasil

Dilma diz que governo dará resposta 'firme' às enchentes no RJ

  • Os mortos pelas enchentes no Estado do Rio de Janeiro não param de subir. Analistas creem que será necessário pelo menos um mês para dimensionar a tragédia. (Foto: AP/ Governo do Rio)
  • Entre as cidades mais atingidas está Nova Friburgo. (crédito: Reuters)
  • Esta foto mostra um estacionamento da cidade, no qual a água e a lama encobriram os carros. (crédito: Reuters)
  • Em Teresópolis, as ruas estão obstruídas com troncos de árvores, destroços de casas e carros amontoados. (Crédito: Reuters)
  • Helicópteros estão sendo usados no resgate das vítimas, mas as equipes têm dificuldade de chegar a muitas áreas. (Foto: AFP/ Governo do Rio)
  • Em Teresópolis, há cerca de mil desabrigados. O governo do Rio diz que 2 mil famílias deverão ser removidas de casa.
  • Este ginásio esportivo na cidade abriga as vítimas da tragédia.
  • Moradores idosos aguardam o resgate aéreo porque as vias terrestres que permitem o acesso ao local ficaram bloqueadas. (Foto: Vladimir Platonow/ ABr)
  • Este apenas observa o que sobrou do muro de uma das casas. (crédito: Reuters)
  • Parentes das vítimas na tragédia sofrem com a tristeza. Famílias inteiras desapareceram sob a lama e as enxurradas. (crédito: AFP)
  • Em Teresópolis, os trabalhos de resgate se desenrolam ao lado da 'cachoeira' formadas pelas águas. (crédito: AFP)
  • O governo do Rio pediu ajuda à Marinha para levar bombeiros e equipamentos às regiões mais afetadas. (crédito: Reuters)

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira que o governo se empenhará para minimizar o impacto das enxurradas na região serrana do Rio de Janeiro.

“Vamos realizar ações de governo firmes”, disse a presidente, após sobrevoar a região, segundo a Agência Brasil.

Em Nova Friburgo, de acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, Dilma desceu em um campo de futebol e, acompanhada por seis ministros e pelo governador do Estado, Sérgio Cabral (PMDB), visitou uma praça coberta de lama e lixo no centro da cidade.

Em seguida, a presidente teria conversado com moradores de Nova Friburgo, um dos municípios mais atingidos pelos deslizamentos.

O número de mortes provocadas pela chuva na região já chega a 385, segundo números das coordenadorias de Defesa Civil das cidade de Petrópolis, Teresópolis, Sumidouro e da Agência Brasil.

Em Nova Friburgo, já são 168 mortos, de acordo com a Agência Brasil. Em Teresópolis, os óbitos saltaram para 161 e em Petrópolis, para 39. Foram ainda registradas 17 mortes no município de Sumidouro, e há expectativa de que o número de fatalidades suba mais nas próximas horas.

Até o momento, a Secretaria de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro registra 355 mortos. O número de desabrigados ou desalojados ultrapassa 13 mil, também segundo as prefeituras.

O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, disse que programas habitacionais dos governos federal e estadual oferecerão cerca de 1,4 mil casas para os desabrigados.

Nesta quinta-feira, uma equipe formada por 225 integrantes da Força Nacional de Segurança Pública foi mobilizada para auxiliar nos trabalhos de resgate no Rio.

Clique Leia mais na BBC Brasil: Governo mobiliza Força Nacional para ajudar vítimas no RJ

Tópicos relacionados

    BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

    Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.