Com mais chuvas, Nova Friburgo continua caótica; mortos passam de 600

Rua de Nova Friburgo, neste sábado
Image caption Cidade estava tensa em meio a temores de novos deslizamentos

Uma chuva torrencial de cerca de uma hora caiu neste sábado sobre Nova Friburgo, região serrana fluminense, causando ainda mais transtornos no centro da cidade, uma das mais afetadas pelos recentes deslizamentos.

A saída da cidade também permanecia caótica, mesmo após a chuva dar uma trégua.

A rodovia RJ 116, que sai de Nova Friburgo rumo a Cachoeiras de Macacu e ao Rio de Janeiro, ficou temporariamente interrompida por quedas de barreiras. Por volta das 15h30, o trânsito na rodovia voltou a se mover, ainda que bem lentamente.

Na avenida Comandante Bittencourt, uma das principais do centro friburguense, um verdadeiro mar de lama tomou conta de uma das pistas, impedindo o trânsito da maior parte dos veículos. Havia temores de que o rio que corre ao longo da via transbordasse.

A poucos metros dali, na praça Presidente Getúlio Vargas, um volume de cerca de 60 cm de água misturada à lama tomou conta da rua.

Para escapar da inundação, vários motoristas subiram com seus carros nos canteiros e jardins da praça – inclusive veículos da polícia civil.

A continuidade das chuvas aumentou a tensão entre os friburguenses, que temiam novos deslizamentos e enxurradas. Além disso, o município está sem luz, e autoridades fizeram um apelo por doações de velas.

Mortos

O número de mortos nos deslizamentos da serra fluminense continuava a subir neste sábado.

Segundo dados da Defesa Civil estadual divulgados às 19h, mais de 600 pessoas morreram na tragédia.

A maioria das vítimas é de Nova Friburgo: 270 mortos. Em Teresópolis, são 262 mortos, além de 55 em Petrópolis e 18 em Sumidouro.

A cidade de São José do Vale do Rio Preto não consta do balanço da Defesa Civil fluminense, mas há relato de que as cheias tenham provocado ao menos quatro mortes ali.

Há também estimadas 6 mil pessoas desabrigadas na região da serra fluminense.

Em visita a Nova Friburgo, o governador fluminense, Sérgio Cabral, disse que a reconstrução dos municípios afetados pelas chuvas deve custar "centenas de milhões de reais".

Notícias relacionadas