Polícia dos EUA prende 110 em megaoperação contra a máfia

Suspeito é preso em ação contra a máfia
Image caption Informantes foram usados na investigação contra grupos criminosos

Policiais americanos prenderam nesta quinta-feira pelo menos 110 suspeitos de integrar uma rede mafiosa que atua no crime organizado de Nova York.

Segundo o FBI, a polícia federal americana, a maioria das prisões foi feita pela manhã (hora local) na cidade de Nova York, nos Estados de Nova Jersey e Rhode Island e em outras áreas no nordeste dos Estados Unidos, com a ajuda das polícias locais.

Cerca de 700 agentes - cerca de 500 deles do FBI e o restante policiais locais, estaduais e de outras agências federais – participaram da operação.

As detenções, que ocorreram principalmente no Estado de Nova York, se baseiam em acusações de assassinato, extorsão e tráfico de drogas, envolvimento em jogo ilegal e em incêndios, entre outros crimes.

O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, disse que as prisões representaram a maior operação contra membros da máfia da história do FBI.

“Estamos comprometidos e determinados em erradicar esses empreendimentos criminosos e em levar os seus membros à justiça”, disse Holder.

Membros das famílias mafiosas Gambino, Genovese, Lucchese, Bonanno, Colombo e DeCavalcante estão entre os presos na operação.

Informantes

Em um comunicado colocado em seu site, o FBI diz que a operação visou prender um total de 127 suspeitos, mas até as 11h da manhã (hora local, 14h em Brasília) apenas 110 haviam sido localizados.

Segundo a imprensa local, algumas das prisões ocorreram após a obtenção de informações por meio de investigações federais e de informantes.

Ex-integrantes da máfia que gravaram milhares de horas de conversas com integrantes das famílias criminosas, teriam ajudado na operação, fornecendo provas contra os suspeitos.

O secretário de Justiça disse que impostos coletados pela máfia – muitas vezes exigidos de pequenos empresários e operadores portuários – podem ter um impacto significativo sobre a economia americana.

“(A máfia) é uma ameaça contínua ao bem-estar econômico do país”, disse Holder.

Notícias relacionadas