Austrália estuda taxa única para ajudar em reconstrução após enchentes

Image caption Enchentes têm levantado preocupações em Kerang, Victoria

A primeira-ministra australiana, Julia Gillard, disse que o governo australiano está estudando a instituição de uma taxa única para arrecadar fundos para a reconstrução das áreas atingidas pelas enchentes no país.

Economistas estimam que as enchentes nos Estados de Queensland e Victoria deixaram um prejuízo estimado em cerca de US$ 3 bilhões só com as perdas nas exportações de carvão e a produção agrícola.

Uma estimativa do banco ANZ indica que a reconstrução poderia requerer outros US$ 20 bilhões. A cobrança, que seria aplicada apenas uma vez, ajudaria o governo a levantar os fundos necessários.

"Não temos ainda a conta total dos prejuízos, mas quero ser muito direta com os australianos – temos muitos prejuízos com enchentes a serem reparados em Queensland. Haverá efeitos econômicos", afirmou a primeira-ministra à TV ABC.

"Serão necessários cortes de gastos e também podemos criar uma contribuição."

O líder da oposição, Tony Abbott, disse que a contribuição é "desnecessária". Para ele, o governo deveria cortar as despesas antes de optar pela taxa, e voltar atrás em um polêmico plano nacional de rede de banda larga no valor de US$ 36 bilhões.

"Há um jeito certo e um jeito errado de encontrar dinheiro", afirmou Abbot.

<b>Destruição</b>

As chuvas que começaram no fim do ano passado fizeram transbordar rios, e as enchentes invadiram as propriedades e deixaram localidades inteiras sem acesso, com um saldo de pelo menos 30 mortos.

O escritório australiano de Economia Agrícola, Ciências e Recursos Naturais (Abares) estima que as enchentes signifiquem uma redução de 15 milhões de toneladas nas exportações de carvão de Queensland, reduzindo o valor das vendas ao exterior em US$ 2 bilhões e US$ 2,5 bilhões.

Queensland é responsável por mais da metade da produção de carvão do país e 62% das exportações australianas do produto.

O impacto na agricultura está sendo calculado em pelo menos US$ 500 milhões, sobretudo pelo impacto na produção de frutas e legumes, algodão e colheitas de inverno.

Estradas, ferrovias e dezenas de milhares de casas foram destruídas pelas enchentes, que ainda ameaçam várias regiões do país.

No Estado de Nova Gales do Sul, os alagamentos deixaram duas cidades, Jeparit e Beulah, isoladas e sem acesso por terra.

Nos arredores da cidade de Kerang, uma represa está a ponto de transbordar e é motivo de preocupação. Em Pyramid Hill os moradores estão isolados, e em Swan Hill, continuam a levantar barricadas com sacos de areia para tentar proteger as propriedades.

Notícias relacionadas