Cientistas britânicos enviam celular ao espaço

o satélite STRaND-1 (Surrey Training Research and Nanosatellite Demonstration) - imagem SSTL
Image caption Companhia é famosa por lançar satélites pequenos

Engenheiros britânicos planejam mandar um telefone celular para o espaço.

A equipe da companhia Surrey Satellite Technology (SSTL), especializada em lançamento de pequenos satélites, quer verificar se as funções mais sofisticadas do aparelho podem ser prejudicadas no espaço.

O telefone que será lançado vai usar o sistema operacional Android, do Google. No entanto, ainda não se sabe qual o modelo de celular que irá para o espaço, o que se sabe é que será um modelo de cerca de 300 libras (pouco mais de R$ 800).

A companhia quer usar o celular para controlar um pequeno satélite, de 30 centímetros de comprimento, e tirar fotos da Terra.

Celulares já foram levados por balões até altitudes mais elevadas, mas este deve ser o primeiro a alcançar a órbita da Terra, centenas de quilômetros acima do planeta.

"Eles (smartphones modernos) vêm com processadores que podem chegar a 1GHz e muito espaço de memória. Primeiramente, queremos ver se o telefone funciona lá, e se funcionar, queremos ver se o telefone pode controlar um satélite", disse Shaun Kenyon, gerente de projeto da SSTL.

A missão, chamada de STRaND-1 (Surrey Training Research and Nanosatellite Demonstration) foi planejada pela companhia SSTL e os pesquisadores do centro espacial local, da Universidade de Surrey (SSC).

Custos

O lançamento do celular é parte de um programa da SSTL para encontrar equipamentos eletrônicos mais baratos que podem ser usados para baixar o custo de seus projetos.

"Não vamos desmontar (o celular), não vamos destruí-lo, não vamos tirar nenhum dos circuitos e soldá-los ao nosso satélite, vamos enviá-lo como está", disse Shaun Kenyon.

"Na verdade, teremos outra câmera no satélite para que possamos tirar uma foto do telefone", acrescentou Kenyon.

Como o sistema do celular que será lançado é de fonte aberta, os cientistas poderão modificar e adaptar as funções do telefone.

E, as grandes mudanças de temperatura e a radiação encontrada no espaço, determinaram que o celular será enviado à órbita da Terra dentro do satélite, para proteção.

Um buraco será aberto do lado da parte fechada do satélite, para permitir que sejam tiradas fotos com a câmera do celular.

Image caption Ainda não foi definido o modelo de smartphone que irá para o espaço

Mas, as mensagens e fotos não serão enviadas do próprio telefone. Será usado um link de rádio, via satélite, para o envio de dados. Mas, depois de um período, o telefone será colocado no comando do satélite.

"Estamos tentando usar ao máximo as capacidades do telefone", disse Doug Liddle, chefe de ciência da SSTL. "Idealmente, o telefone poderá assumir o controle."

Controle

Durante a viagem, os cientistas querem que o celular assuma o controle de vários sistemas, como sistemas de navegação e de impulso do satélite.

"A natureza do programa usado, de fonte aberta, é muito animadora pois podemos ver no futuro, depois de fazermos o telefone funcionar em órbita, que podemos conseguir pessoas para desenvolver aplicativos para isso", disse Doug Liddle.

"Se provarmos que um smartphone pode funcionar no espaço, disponibilizaremos novas tecnologias para uso no espaço para muitas pessoas e companhias, que geralmente não podem pagar por isso", disse Chris Bridges, do Centro Espacial de Surrey.

A companhia SSTL é famosa por lançar satélites pequenos e já conseguiu reduzir os custos de seus sistemas ao incorporar componentes que foram originalmente desenvolvidos para o consumidores comuns, como os laptops.

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet