Tunísia emite ordem de prisão para o ex-presidente Ben Ali

Manifestantes protestam em frente ao gabinete do premiê Mohamed Ghannouchi (AFP)
Image caption Manifestantes vêm exigindo a renúncia de ministros ligados a Ben Ali

O governo interino da Tunísia emitiu nesta quarta-feira um mandado internacional de prisão para o ex-presidente do país Zine Al-Abidine Ben Ali, que deixou o país neste mês em meio a uma onda de protestos.

O Ministério da Justiça também emitiu ordens de prisão para alguns integrantes da família do ex-presidente, incluindo sua mulher, Leila Trabelsi.

Segundo o ministro da pasta, Lazhar Karoui Chebbi, eles são suspeitos de "aquisição ilegal" de imóveis e outros bens e "transferências ilícitas de dinheiro para o exterior".

O ministro disse ter pedido ajuda à Interpol para efetuar a prisão de Ben Ali.

Protestos

O ex-presidente fugiu para a Arábia Saudita com sua família em 14 de janeiro, pressionado pelos protestos contra seu governo, iniciados em dezembro, nos quais pelo menos 78 pessoas morreram.

Partidários do governo interino esperam que estas ordens de prisão diminuam as críticas ao gabinete de governo, que conta com ministros que participaram do governo de Ben Ali.

Centenas de manifestantes voltaram a se reunir nesta quarta-feira em frente ao Parlamento na capital do país, Túnis, pedindo a renúncia destes ministros – entre eles o premiê, Mohammed Ghannouchi.

Alguns dos manifestantes teriam tentado passar por barricadas erguidas ao redor de um complexo de prédios do governo, e a polícia reagiu atirando bombas de gás lacrimogêneo.

Notícias relacionadas