Obama pede a Mubarak que promova reformas e faz apelo contra a violência

Barak Obama Direito de imagem AP
Image caption Obama também pediu a lider egípcio que reverta bloqueio à internet

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conversou nesta sexta-feira com o presidente egípcio, Hosni Mubarak, e pediu que ele respeite os direitos da população e evite o uso de violência contra manifestantes pacíficos.

Obama disse que conversou com Mubarak por cerca de meia hora, logo após o pronunciamento transmitido pela TV estatal do Egito, em que o líder egípcio anunciou a dissolução do governo.

"À medida que a situação continua a se desenrolar, nossa primeira preocupação é evitar ferimentos ou perda de vida. Então eu quero ser bem claro em pedir que as autoridades egípcias que evitem o uso de qualquer tipo de violência contra manifestantes pacíficos", disse Obama.

"Ao mesmo tempo, aqueles que protestam nas ruas têm uma responsabilidade de expressar-se pacificamente. Violência e destruição não levarão às reformas que eles buscam."

Reformas

O presidente americano disse que a população do Egito "tem direitos que são universais" e pediu a Mubarak que tome medidas concretas para avançar nos direitos do povo egípcio e implementar as reformas prometidas em seu pronunciamento.

"Reprimir ideias nunca foi uma maneira bem-sucedida de fazê-las desaparecer."

Obama disse ainda ter pedido ao governo egípcio que reverta as ações tomadas para interferir no acesso a internet, serviços de telefonia celular e redes sociais.

Antes da manifestação de Obama, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, havia dito que os Estados Unidos poderão revisar sua ajuda ao Egito com base no desenrolar dos eventos nos próximos dias.

Obama disse ainda que este momento de volatilidade deve ser transformado em um momento de oportunidade. O presidente citou a "parceria próxima" que os Estados Unidos mantém com o Egito. "Mas nós também deixamos claro que é necessário promover reformas políticas, sociais e econômicas."

Notícias relacionadas