Mandela deixa hospital para continuar tratamento em casa

Segundo médicos, Mandela está de bom humor e respondeu bem ao tratamento. Direito de imagem Reuters
Image caption Ex-presidente foi internado na quarta para tratar de problemas respiratórios

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, 92 anos, ganhou alta nesta sexta-feira do hospital de Joanesburgo onde estava internado desde quarta-feira para tratar de problemas respiratórios.

O ministro da Saúde sul-africano, Vijay Ramlakan, disse a jornalistas que Mandela sofreu de uma infecção respiratória aguda, mas que a sua "postura incrivelmente positiva" ajudou na recuperação.

De acordo com o ministro, o ex-presidente está com ótimo humor, tendo brincado com médicos e enfermeiras logo depois de acordar.

"Para nós, ele está estável, mas ele será submetido a monitoramento intenso", disse Ramlakan. "Em termos médicos, no momento, não há motivo para pânico."

Mandela deixou o hospital em uma ambulância, acompanhada de um comboio da polícia, em direção à sua casa no bairro de Houghton, em Joanesburgo.

Os especialistas que trataram de Mandela se disseram satisfeitos com a recuperação do ex-presidente, que continuará se tratando em casa.

O correspondente da BBC em Johanesburgo Mike Wooldridge afirma que a saída de Mandela do hospital deve trazer alívio para uma nação ansiosa devido aos problemas de saúde de seu maior líder político.

Presidente entre 1994 e 1999 e símbolo da luta contra o apartheid, Mandela foi levado da Cidade do Cabo para ser internado no hospital Milpark, em Joanesburgo, na última quarta-feira, causando apreensão entre os sul-africanos.

O presidente em exercício do país, Kglema Motlanthe, também havia dito mais cedo que não há "motivos para pânico" quanto à condição de Mandela. Ele afirmou que o ex-líder passou por exames especializados normais para pessoas da sua idade.

Motlanthe lembrou que o ex-presidente contraiu tuberculose no período em que esteve preso (1962-1990), devido à sua oposição ao regime de segregação racial sul-africano.

Motlanthe está à frente do governo devido à viagem do presidente sul-africano, Jacob Zuma, a uma cúpula de países africanos na Etiópia.

Após se retirar da vida pública em 2004, Mandela tem parecido cada vez mais frágil nas raras ocasiões em que é visto.

Sua última aparição pública foi na cerimônia de encerramento da Copa do Mundo da África do Sul, em julho de 2010.