áfrica

Vice sudanês diz que governo aceitará emancipação do sul do país

Segundo Taha, a cooperação entre as duas regiões será mantida

O governo sudanês confirmou nesta segunda-feira que vai respeitar o resultado do referendo sobre a emancipação do sul do país, realizado entre os dias 9 e 15 de janeiro.

Segundo a Comissão Eleitoral do Sudão, 99,57% dos eleitores votaram pela independência da região, que deve ocorrer em 9 de julho.

“Declaro que aceitamos os resultados preliminares do referendo anunciados pela comissão”, afirmou o vice-presidente, Ali Osman Taha, durante uma entrevista coletiva na capital do país, Cartum.

“Vamos imediatamente dar início aos procedimentos que se seguem à essa fase.”

Cooperação

Taha disse ainda esperar que o “espírito positivo que dominou todo o processo” vença as tensões que eventualmente possam ocorrer.

Segundo o vice-presidente, será mantida a cooperação e a coordenação entre o Norte e o Sul.

“A separação não vai interferir na relação (entre as duas regiões) e nos interesses mútuos.”

De acordo com a lei sudanesa, o Norte pare recorrer do resultado do referendo. No entanto, o correspondente da BBC em Cartum disse que as indicações são as de que nada vai impedir que o sul se separe do norte do país e se torne o 54º país da África.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.