Mulheres escolhem amantes em concurso de beleza no Saara

Foto: Timothy Allen/BBC Direito de imagem BBC World Service
Image caption Homens se pintam e dançam para impressionar mulheres

A fertilidade trazida pela chuva no deserto do Saara é comemorada com um concurso de beleza incomum, em que homens pintam o rosto e usam roupas especiais para impressionar juízas mulheres.

Os participantes do concurso são do povo wodaabe, do Níger, e eles são julgados de acordo com parâmetros vistos em muitas competições do tipo: altura, forma física, simetria facial e bons dentes.

Os homens pintam os rostos e dançam por horas tentando impressionar as juízas, que podem escolher amantes entre os competidores.

Simbologia

Direito de imagem Timothy Allen BBC
Image caption As juízas são mulheres de status

O ritual, chamado Gerewol, foi filmado pelo programa Human Planet (Planeta Humano) da BBC e tem várias simbologias, segundo a antropóloga dinamarquesa Mette Bovin, que trabalha com os wodaabe desde os anos 70.

O vermelho, que cobre o rosto dos participantes, é associado a sangue e violência e por isso só é usado em ocasiões especiais. O amarelo, usado por alguns dançarinos para criar detalhes no rosto, é a cor da mágica e da transformação.

O preto usado nos lábios e nos olhos é escolhido por ser o oposto do branco, que representa a morte. O “batom” é feito com ossos queimados de uma espécie de garça, associada pelos wodaabe à expressividade.

“Ter charme – ou seja, expressividade e carisma – é algo muito valorizado em um jovem rapaz”, diz Bovin.

Amantes

Ao fim da apresentação, cada juíza escolhe seu vencedor e pode decidir tê-lo como amante, mesmo que ambos já tenham parceiros. Os vencedores são lembrados por anos após o concurso.

“Você dança o Gerewol para ganhar uma amante, mesmo que isso signifique roubar a esposa de alguém”, diz Djao, que conheceu a segundo mulher, Tembe, em um concurso anterior.

“Você pode casar com ela ou ter um romance com ela.”

Segundo a diretora do programa da BBC, Tuppence Stone, não há qualquer estigma ligado ao fato de que as pessoas quebram os votos do casamento temporariamente ou permanentemente durante o Gerewol.

“Os primeiros votos maritais na cultura wodaabe são feitos quando o noivo e a noiva são muito jovens, então o Gerewol é uma chance para o amor”, diz ela.

Os wodaabe não são polígamos, então para casar-se com um novo parceiro é preciso deixar o anterior.

Períodos de seca, conflitos e a recente insurgência da Al-Qaeda no Norte da África significa que essa antiga tradição é raramente praticada.

Os clãs filmados pela BBC vivem em pequenos grupos nômades na fronteira entre o Chade e o Níger. Este foi o primeiro Gerewol para este grupos após seis anos de seca.

Apenas quando há água suficiente para centenas de pessoas no mesmo lugar, clãs wodaabe isolados se reúnem.

Notícias relacionadas