Promotores querem julgamento de Berlusconi por sexo com menor

Silvio Berlusconi (AFP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Berlusconi nega todas as acusações e fala em motivação política

Promotores da Itália anunciaram nesta terça-feira que vão entrar com um pedido formal para que o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, seja julgado pela acusação de manter relações sexuais com uma jovem menor de idade e por abuso de poder.

Os promotores da cidade de Milão informaram que o pedido para um julgamento mais rápido será submetido à Justiça na quarta-feira.

Berlusconi é acusado de ter mantido relações sexuais pagas com uma dançarina de origem marroquina, Karima El Mahroug, e de ter influenciado a liberação da jovem quando ela foi detida pela polícia.

Também conhecida com Ruby, Karima, atualmente com 18 anos, participou de festas do primeiro-ministro italiano quando ainda tinha 17 anos.

De acordo com os promotores, ela teria sido paga para ter relações sexuais com Berlusconi.

Ela confirmou ter recebido 9 mil euros (cerca de R$ 20 mil) do primeiro-ministro ao final de uma festa, mas afirma que a quantia não era um pagamento por serviços sexuais, e sim um presente. Ela também nega ser prostituta.

Berlusconi nega as acusações e afirmou que o processo tem motivação política.

No caso separado, em que a jovem foi detida pela polícia, o premiê italiano admitiu que ligou para a polícia depois da prisão de Karima, mas afirma não fez nada de errado, agiu apenas por ter pena da jovem.

Inquérito

O chefe da promotoria de Milão, Edmondo Bruti Liberati, disse a jornalistas que o inquérito a respeito das duas acusações está quase completo.

Liberati acrescentou que uma "reunião final" deve ocorrer na tarde desta terça-feira para analisar se o julgamento deve ser feito pela via rápida para as duas acusações ou se elas devem ser separadas.

Berlusconi se recusou a comparecer perante os promotores como parte da investigação e, na semana passada, o Parlamento italiano rejeitou o pedido da promotoria, de realizar buscas no gabinete do contador do primeiro-ministro.

Em janeiro os promotores submeteram duas séries de documentos à Justiça italiana, incluindo o que eles afirmam ser prova de pagamentos feitos pelo premiê a prostitutas, entre eles, pagamento à dançarina Ruby.

Ainda no final de janeiro o nome de uma segunda menor de idade, uma brasileira que teria participado aos 17 anos de festas que incluiriam orgias organizadas por Berlusconi, foi revelado pelos promotores.

Iris Berardi já era conhecida pela polícia italiana como prostituta e teria participado de festas em casas do primeiro-ministro na Sardenha e em Milão, dias antes de completar 18 anos.

Notícias relacionadas