Irmãs britânicas são condenadas pelo assassinato do pai

Foto: PA Direito de imagem PA
Image caption As irmãs adolescentes mataram o pai e tentaram roubar seu cofre

Duas irmãs britânicas foram condenadas na última terça-feira pela morte de seu pai, após terem elaborado, segundo sua família, um plano "ganancioso e degenerado" para o assassinato.

Ashleigh Robinson, de 19 anos, e Hollie Robinson, 16, de Old Conwyn (oeste da Grã-Bretanha), esfaquearam o pai, o comerciante de antiguidades aposentado Antoni Robinson, 61, enquanto ele dormia, em julho de 2010.

Com a ajuda de seus namorados Gordon Harding, de 20 anos, e Sacha Roberts, 19, elas tentaram roubar o conteúdo do cofre do pai depois de matá-lo.

Ashleigh e Hollie eram filhas de Robinson com sua segunda mulher, Joanne Barr, com ele quem esteve por 25 anos.

Barr também foi condenada a quatro anos de prisão por desvio do curso da justiça ao mentir para a polícia para acobertar as filhas.

Ashleigh e Gordon Harding, seu namorado, foram condenados a 22 anos de prisão. Hollie Robinson foi condenada a 16 anos e Sacha Roberts, com quem ela se relacionava, a 20 anos de prisão.

Os réus alegaram que apenas queriam pegar as joias que estavam no cofre de Robinson e que não houve intenção de feri-lo ou matá-lo.

Direito de imagem PA
Image caption Antoni Robinson foi esfaqueado enquando dormia

Família

Depois da audiência, Claire e Amanda Robinson, as meias-irmãs de Ashleigh e Hollie, disseram que "a justiça foi feita".

Em um comunicado oficial, Claire Robinson disse que a família "esperou pacientemente que estes indivíduos sem coração fossem responsabilizados por seus crimes".

"(Antoni Robinson) era um pai, irmão, tio e avô bom e amoroso. Fomos muito afetados e ficamos entristecidos com sua morte."

"Isso só pode ser descrito como um plano degenerado e ganancioso, que foi mais horrível pelo fato de ter sido perpetrado por parentes que pensávamos conhecer", declarou.

Durante o julgamento, o juiz Justice Giffith-Williams disse que as filhas desprezaram seu pai e abusaram de sua bondade.

Giffith-Williams afirmou ainda que Gordon Harding estava sob a "influência maligna" de sua namorada Ashleigh, que o jogou contra seu pai.

Notícias relacionadas