Índia e Paquistão anunciam retomada das negociações de paz

Bandeiras da Índia e do Paquistão Direito de imagem AFP
Image caption Os dois países já se enfrentaram em pelo menos três guerras

Os governos de Índia e Paquistão divulgaram nesta quinta-feira um comunicado conjunto confirmando a retomada das negociações de paz, suspensas após uma série de ataques cometidos em 2008, na cidade indiana de Mumbai e atribuídos a militantes baseados no Paquistão.

A decisão de voltar à mesa de negociações se deu após um encontro de altos oficiais indianos e paquistaneses no Butão no último final de semana.

Segundo o comunicado, os dois lados “concordaram em retomar o diálogo em relação a todos os assuntos no espírito da reunião de Timfu (capital do Butão) entre os dois primeiros-ministros”.

O ministro das Relações Externas do Paquistão deve então visitar a Índia, provavelmente em julho, para avaliar os progressos firmados no diálogo.

Mesmo com a interrupção das conversações de paz, no ano passado as duas partes se reuniram em diferentes ocasiões para discutir diferentes temas que estão no âmago da disputa entre os dois países, que já se enfrentaram em pelo menos três guerras.

Caxemira

Em entrevista à BBC, a ministra das Relações Exteriores da Índia, Nirupama Rao, disse que os atentados realizados em Mumbai, nos quais mais de 170 pessoas morreram, ainda era um ''um tema de grande preocupação''.

Correspondentes da BBC nos dois países disseram que ninguém espera que haja progresso rápido em relação a qualquer um dos contenciosos entre as duas nações.

''Os dois países irão trabalhar para estreitar o déficit de confiança para que possamos discutir todos os assuntos bilaterais'', afirmou à BBC o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores indiano, Vishnu Prakash.

''Estamos juntando os pedaços novamente, temos que caminhar passo a passo. Ainda estamos engatinhando.''

As conversações irão tratar de grandes temas da agenda bilateral, como a adoção de medidas de contra grupos extremistas e o controle sobre o território da Caxemira, reivindicado por ambos os países. As equipes de negociadores irão ainda abordar assuntos econômicos e outras discordâncias relativas a fronteiras.

Os dois países têm um longo histórico de disputas pela Caxemira, que hoje é dividida em duas partes, uma administrada pela Índia, a outra pelo Paquistão.

Notícias relacionadas