Berlusconi é indiciado por sexo com menor e abuso de poder

Berlusconi Direito de imagem BBC World Service
Image caption Berlusconi nega as acusações e diz que elas têm motivação política

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, será julgado sob a acusação de ter pagado para ter relações sexuais com uma menor de idade.

A juíza Cristina Di Censo determinou que o processo será iniciado no dia 6 de abril.

Berlusconi também responderá à acusação de abuso de poder, pelas supostas tentativas de acobertar o episódio.

As acusações se referem ao chamado caso Ruby, o apelido da jovem marroquina Karima el-Mahroug, dançarina que teria participado de festas na residência do premiê italiano quando ainda tinha 17 anos de idade.

O julgamento será realizado no Tribunal de Milão.

No domingo, centenas de mulheres foram às ruas em Roma e outras cidades italianas pedindo a renúncia do primeiro-ministro, sob o argumento de que ele ofendeu as mulheres e vem danificando a imagem da Itália.

O premiê de 74 anos nega as acusações, dizendo que elas são ''vergonhosas e repugnantes'' e que os juízes que vinham tentando indiciá-lo agem com motivações políticas.

Segundo informações que vêm sendo divulgadas pela imprensa italiana e que teriam ''vazado'' das investigações relativas ao caso, Berlusconi teria pago vastas quantias para ter sexo com as diferentes mulheres que participavam de suas festas.

Notícias relacionadas