Australiano diz ter escapado de ataque de crocodilo de três metros

Eddie Sigai e suas filhas (imagem: Barcroft) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Sigai passou dois dias no hospital com ferimentos no braço e nas costas

Um australiano que nadava em um lago com suas filhas diz ter escapado com vida após ser atacado por um crocodilo com três metros de comprimento.

O incidente teria ocorrido em um lago no Estado de Queensland, nordeste da Austrália, no sábado.

Em entrevista ao jornal australiano The Sunday Mail, Eddie Sigai, de 37 anos, disse que chutou, deu socos e enfiou os dedos nos olhos do crocodilo após o animal tê-lo agarrado pelo braço, puxando-o para o fundo.

"Pensei comigo, é isso, estou morto", disse Sigai ao jornal.

Ele comentou, no entanto, que é surpreendente o que uma pessoa é capaz de fazer quando o que está em jogo é a segurança de seus filhos.

Semanas antes, ele havia visto um documentário sobre um homem que escapara de um ataque semelhante atacando o animal nos olhos.

Sigai disse ter guardado a tática na lembrança e acha que isso pode ter salvo sua vida.

Especialistas ouvidos pela BBC, no entanto, dizem que a melhor defesa contra crocodilos é não ser atacado, ou seja, evitar situações onde há risco de ataques.

Sábado ensolarado

Sigai e as filhas Jennifer, de 17 anos, e Monica, de 12, estavam há três horas na região do lago quando ocorreu o ataque.

"Ele agarrou minha mão e me puxou para o fundo, então me vi sentado e só me lembro de agarrar, sacudir, esmurrar e atingir seus olhos", disse ele.

Sigai explicou que vem frequentando o local desde a infância e que sabia do perigo de ataques por crocodilos na área, mas não conseguiu resistir à tentação das águas convidativas no dia quente.

Em depoimento ao Sunday Mail, Jennifer disse ter sentido algo grande tocar seu corpo e ter colocado suas mãos em algo que, agora, ela acredita ser o crocodilo.

Sua irmã Monica disse que sentiu a cauda do animal em suas costas quando ele nadava na direção de seu pai e ficou horrorizada.

Sigai passou dois dias no hospital com ferimentos no braço e arranhões profundos nas costas.

Ponto vulnerável

Crocodilos tendem a esperar por suas presas em silêncio, quietos, sob a água, antes de iniciar ataques ferozes e repentinos.

O australiano Bob Cooper, instrutor de técnicas de sobrevivência, disse que os olhos são mesmo o único alvo possível quando uma pessoa tenta se defender de um ataque por um crocodilo.

Mas contou que fica surpreso em observar o comportamento descuidado de pessoas que visitam águas infestadas por criaturas tão perigosas.

"Se pegarem você, atacar os olhos é a única forma possível de você lutar ", disse Cooper. "Eles têm milhares de anos de instinto dizendo a eles que esta é a única parte vulnerável de seu corpo".

"Mas há poucas chances de você chegar perto deles (dos olhos do animal). Uma vez que ele tem você embaixo d’água, você vai se afogar."

O especialista Shaun Foggett passou bastante tempo com crocodilos, o suficiente para aprender a melhor forma de lidar com eles.

Ele fundou o centro de conservação Crocodiles of the World, no condado de Oxfordshire, sul da Inglaterra.

Foggett concorda que estar vigilante para evitar situações de risco é mais garantido do que tentar furar o olho do réptil, e que aproveitar alguma oportunidade para escapar é a melhor forma de ficar longe das mandíbulas do animal.

"Se você está perto o suficiente para ser atacado, provavelmente não vai ter a menor noção disso", ele disse.

"Outra opção, eles podem te dar um aviso - vão começar a emitir um som sibilante. A melhor coisa a fazer, nesse caso, é se afastar lentamente, sem fazer qualquer movimento repentino", aconselhou Foggett. "Um (crocodilo) adulto pode se mover tão rápido quanto um humano."

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet