Ecclestone diz ter esperança de que protestos não impeçam GP do Bahrein

Grande Prêmio do Bahrein (arquivo Getty) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Grande Prêmio do Bahrein está marcado para o dia 13 de março

Bernie Ecclestone, detentor dos direitos comerciais da F-1, afirmou nesta sexta-feira que está "esperançoso" de que o Grande Prêmio do Bahrein, no golfo Pérsico, possa ser realizado no país em março, apesar dos protestos que sacodem o país.

Três pessoas morreram e 231 ficaram feridas durante violentos protestos contra o governo no país, despertando temores sobre um cancelamento do evento.

Ecclestone disse à BBC: "Nosso pessoal lá diz 'está tranquilo, sem problemas'", afirmou Ecclestone. "Estou mais esperançoso hoje. Espero que não tenhamos que fazer nada. Vamos esperar que as coisas se encaminhem nesta direção", afirmou ele.

O Grande Prêmio do Bahrein está marcado para o dia 13 de março.

Protestos

Dezenas de milhares de pessoas transformaram nesta sexta-feira os funerais de vítimas de confrontos com a polícia na maior manifestação até o momento contra o governo do Bahrein.

Os manifestantes compareceram aos enterros, muitos carregando cartazes e cantando slogans de oposição ao governo do xeque Hamad bin Isa Al-Khalifa.

Depois dos funerais, as orações de sexta-feira se transformaram em mais uma oportunidade de protesto. Em uma mesquita, xiitas gritavam "vitória ao Islã" e morte à família real bareinita.

A correspondente da BBC Caroline Hawley diz que, por causa das mortes – que foram ao menos três, ocorridas durante protestos pró-democracia na quinta-feira –, as tensões cresceram na capital, Manama.

Demandas prévias por reformas constitucionais agora evoluíram para um pedido mais geral, pela remoção da dinastia sunita que governa o país há mais de 200 anos.

Notícias relacionadas