Mania em spas britânicos, 'pedicure do peixe' poderia espalhar infecções

A pedicure do peixe (Foto: BBC) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Médicos alertam para possibilidade de transmissão de infecções

A última moda no mundo da pedicure, o uso de peixes para se livrar de pele morta nos pés, está sendo investigada por autoridades de saúde britânicas devido à suspeita de que a prática possa espalhar infecções.

Na chamada "pedicure do peixe", a cliente mergulha os pés em um tanque de água e se deixa mordiscar por um cardume de pequenas garras rufas - que em poucos minutos removem camadas de pele morta dos pés.

Os spas dizem que o tratamento é tradicional na Ásia. A moda chegou à Grã-Bretanha, onde diversas clínicas já oferecem o tratamento, e já começou a virar mania também nos EUA, onde clientes pagam cerca de R$ 80 por menos de meia hora com os pés no tanque.

Para a agência de proteção à saúde pública britânica, o procedimento pode acabar incentivando a transmissão de infecções de um usuário para outro, a partir de feridas abertas nos pés.

"Estamos investigando se existe algum risco potencial de infecção associado ao uso comercial de tratamentos de pedicure utilizando peixes", disse o órgão.

A agência frisou que está agindo em função de diversas consultas feitas por autoridades locais de saúde pública e ambiental, mas disse que ainda não tem registros de problemas.

"Atualmente, desconhecemos casos de infecção associados ao uso desses peixes na Grã-Gretanha."

Nos Estados Unidos, alguns estados proibiram o tratamento por causa da preocupação com o uso das mesmas carpas para limpar os pés de diferentes clientes.