UE aprova embargo de armas à Líbia e bloqueia bens de Khadafi

Catherine Ashton, representante de Relações Exteriores da UE, em discurso nesta segunda (Foto: AP) Direito de imagem AP
Image caption Ashton disse que sanções devem entrar em ação rapidamente

A União Europeia (UE) aprovou nesta segunda-feira um pacote de sanções contra a Líbia que inclui um embargo de armas e munições e o bloqueio de bens do líder líbio Muamar Khadafi nos países membros do bloco.

O objetivo das autoridades europeias é aumentar a pressão sobre Khadafi para deter a violência contra os manifestantes que pedem sua saída.

De acordo com a decisão, outros 25 membros da família de Khadafi e pessoas próximas ao seu regime também terão seus bens na UE congelados.

Além disso, o bloco proibiu a entrada de Khadafi e de outras 26 pessoas em seu território por tempo indeterminado.

O pacote ainda inclui a proibição de exportar para a Líbia qualquer material, além de armas, que possa ser utilizado para reprimir manifestantes.

Leia mais na BBC Brasil: Hillary Clinton pede saída imediata da Khadafi

Sanções da ONU

Com a decisão, ratificada pelos ministros europeus de Energia em uma reunião em Bruxelas, a UE aplica as sanções determinadas pelo Conselho de Segurança da ONU no sábado. A medida inclui restrições adicionais, explicou o ministro húngaro de Desenvolvimento Nacional, Tamás Fellegi, cujo país exerce a presidência rotativa do bloco.

As restrições entrarão em vigor depois de sua publicação no Diário Oficial da UE, “em questão de dias”, de acordo com Fellegi.

A representante da União Europeia para Relações Exteriores, Catherine Ashton, disse que as sanções contra a Líbia terão efeito rapidamente.

“O que está acontecendo (na Líbia) – a violência contra manifestantes – choca nossa consciência e deve forçar nossa ação”, disse Ashton em Genebra, em reunião do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

No último sábado, o Conselho de Segurança da ONU também havia aprovado por unanimidade sanções contra o regime de Khadafi, pela violência com que vem lidando com os protestos contra seu governo.

O órgão aprovou um embargo à venda de armas, o congelamento de bens e apresentará denúncia por crimes contra a humanidade contra Khadafi no Tribunal Penal Internacional.

Notícias relacionadas