Grã-Bretanha

Sorvete de leite materno tem venda suspensa em Londres

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Autoridades sanitárias da Grã-Bretanha suspenderam a venda de um polêmico sorvete feito com leite materno até que sejam concluídos testes para determinar a adequação do alimento ao consumo humano.

A novidade, criada pela sorveteria Icecreamists, em Covent Garden, região no centro de Londres, vinha dividindo as opiniões entre os consumidores desde seu lançamento, em fevereiro.

O "Baby Gaga", como foi batizado, é produzido a partir de leite materno pasteurizado, que depois é batido com baunilha e casca de limão.

Consumidores que provaram a iguaria a pedido da reportagem da BBC disseram gostar da combinação.

Mas a subprefeitura da região de Westminster, onde se localiza Covent Garden, disse que recebeu duas queixas do público e foi alertada pelas autoridades de saúde sanitária e alimentar, preocupadas com a adequação do sorvete para consumo humano.

"Se não for feita de maneira controlada, a venda de alimentos produzidos com os fluidos corporais de outra pessoa pode levar à transmissão de vírus e, nesse caso, hepatite", disse um dos conselheiros (vereadores) de Westminster, Brian Connell, do Partido Conservador.

O sorvete de leite materno da Icecreamists

Sorvete de leite materno dividiu opiniões em Londres

"No papel de autoridade local, apoiamos as pequenas empresas e aplaudimos ideias inovadoras sempre que possível, mas precisamos proteger a saúde dos consumidores."

Sensação

Desde que foi lançado, o Baby Gaga se tornou uma espécie de "sensação do mês" no campo gastronômico. Apesar do preço salgado – uma bola custava 14 libras, ou cerca de R$ 40 –, o doce esgotou em poucas horas.

A primeira leva utilizou o leite de 15 mulheres. O proprietário da Icecreamists, Matt O'Connor, disse que a sorveteria foi contatada por cerca de 200 outras oferecendo leite materno para doação.

O'Connor disse que o produto é seguro não somente porque o leite é pasteurizado, mas também porque é testado em laboratório antes de ser usado como ingrediente.

"Seguimos exatamente o mesmo procedimento de quando alguém doa seu leite materno ou seu sangue para bancos de sangue ou de leite. Ao dizer que esse sorvete não é seguro, as autoridades estão dizendo também que leite materno não é seguro", disse O'Connor.

"Se a subprefeitura proibir (o sorvete), vou começar um protesto com as mães que já expressaram seu apoio. Você pode comprar álcool e tabaco em Westminster, mas não leite materno", ironizou.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.