Mineradora chilena é considerada culpada por acidente que deixou 33 soterrados

Image caption Relatório concluiu que donos da mina San José foram negligentes

Após cinco meses de trabalho, uma comissão do congresso chileno entregou nesta quarta-feira um relatório sobre o desastre deixou 33 mineiros soterrados por mais de dois meses e responsabilizou os proprietários da mina pelo acidente.

Segundo o jornal chileno La Tercera, o documento concluiu ainda que o órgão do governo que controla a segurança em minas também tem uma parcela de culpa, por não ter fiscalizado as condições de trabalho da mina San José.

Na época, os mineiros disseram que o local não seguia padrões básicos de segurança e que deveria ter sido fechado há meses.

“Para essa comissão, a responsabilidade principal recai sobre os administradores a mina San José, os senhores Alejandro Bohn e Marcelo Kemeny”, disse o deputado Vicente García-Huidoro, acrescentando que eles foram negligentes – acusação que ambos negam.

Fiscalização

O informe, que será apresentado na quinta-feira pela Câmara de Deputados, contém propostas para promover mudanças no órgão de fiscalização, chamado Serviço Nacional de Geologia e Mineração (Sernageomin).

“É preciso reformular o organismo, para que ele tenha capacidade e recursos para melhorar a capacidade de fiscalização”, afirmou o ministro da Mineração do Chile, Laurence Goldborne, ao elogiar o trabalho da comissão.

De acordo com o relatório, “espera-se que o Sernageomin seja um organismo que esteja a altura do desafio que a mineração representa para o Chile”.

Após ser discutido, o projeto de lei deve ser entregue à Câmara dos Deputados dentro dos próximos 30 ou 60 dias.

Notícias relacionadas