Nova Zelândia: Não há mais chance de se encontrar sobreviventes do terremoto

Escombros da catedral de Christchurch Direito de imagem AFP
Image caption O terremoto em Christchurch deixou mais de 160 mortos

Nove dias após o terremoto que destruiu boa parte do centro da cidade de Christchuch, na Nova Zelândia, autoridades anunciaram que não há mais esperança de se encontrar sobreviventes.

John Hamilton, chefe da Defesa Civil da Nova Zelândia, disse que, agora, somente um "milagre" poderia fazer com que alguém ainda continue vivo sob os escombros.

O tremor, de magnitude 6,3, causou a morte de 160 pessoas, mas esse número ainda pode ser maior, pois seguem desaparecidas mais de 100 pessoas.

As equipes de resgate continuam trabalhando nos escombros, com a ajuda de máquinas e guindastes.

Segundo membros de uma equipe de resgate americana, 22 pessoas estariam soterradas perto da torre da catedral da cidade, que ruiu no terremoto.

Estrangeiros

Equipes do Japão, da China e da Nova Zelândia fazem buscas no que restou do prédio da rede de televisão Canterbury Television.

Acredita-se que cem corpos estejam soterrados no local. Entre eles, um grupo de estudantes japoneses que fazia um curso de inglês em Christchurch.

O primeiro-ministro neozelandês John Key dissse que cerca de cem das pessoas que morreram no terremoto são estrangeiras.

"Muitos corpos terão de ser submetidos a exame de DNA porque está muito difícil identificá-los", afirmou o chefe do Corpo de Bombeiros, Stuart-Jim Black.

Ajuda

Também nesta quinta-feira, a Defesa Civil pediu que a população fique afastada de árvores de grande porte, que podem estar com as raízes comprometidas e cair a qualquer momento.

As autoridades também recomendaram que as pessoas continuem a ferver a água para evitar doenças.

Após a catástrofe, quatro mil banheiros químicos foram instalados em Christchurch e outros 1,2 mil devem chegar à cidade até o final da semana.

Cerca de 22 mil casas permanecem sem energia elétrica.

O governo da Nova Zelândia garantiu uma ajuda de 10 mil dólares neozelandeses às vítimas do terremoto.

Notícias relacionadas