Natureza

Fotos mostram luta por sobrevivência em ambientes inóspitos da Terra

GALERIA DE FOTOS: LUTA Por SOBREVIVÊNCIA

  • O fotógrafo Timothy Allen acompanhou a produção da elogiada série de TV 'Human Planet', da BBC, que destacou maneiras criativas encontradas por comunidades de sobreviver em ambientes desafiadores. No Laos, pescadores arriscam suas vidas durante as cheias do rio Mekong. A travessia é feita através de cordões estendidos sobre o leito do rio. Foto: Timothy Allen
  • Nos desertos, tema do segundo episódio, a expectativa pela chegada das chuvas rege a vida social, econômica e cultural de comunidades como os Wodaabe, de Níger. Na foto, homens da tribo fazem o Yaake, uma dança para impressionar as mulheres, em comemoração à chegada da estação chuvosa. Foto: Timothy Allen
  • O fotógrafo Timothy Allen acompanhou a equipe de filmagem da série em 30 lugares diferentes. Na foto, uma vila do povo Dogon, que vive no meio do deserto do Saara, em Mali. Nas casas, recipientes de armazenamento de água esperam a chegada da chuva. Foto: Timothy Allen
  • Apesar da grande oferta de alimento, a vida nas florestas requer dos homens um conhecimento profundo dos processos naturais. Para conseguir mel, essencial para a tribo dos Baaka, na República da África Central, Mongoje (homem na foto) precisa escalar árvores de até 40 metros e enfrentar perigosas abelhas africanas. Foto: Timothy Allen
  • Em Yandombe, região sudoeste do país africano, os Baaka vivem dentro da floresta tropical, em abrigos feitos com folhas e gravetos. Foto: Timothy Allen
  • A biodiversidade da floresta também influencia a vida cultural de comunidades como a tribo dos Sing Sing, em Papua Nova Guiné. Com mais de 40 espécies de pássaros, eles consideram suas penas como prêmios. Foto: Timothy Allen
  • No principal festival da tribo Sing Sing, os homens se adornam com couro de cuscus, um marsupial da região; penas de papagaio; penas de aves-do-paraíso e folhas para impressionar as mulheres. Foto: Timothy Allen
  • Em Puerto Ayacucho, na Amazônia venezuelana, até mesmo animais como a Tarântula-golias-comedora-de-pássaros são aproveitados na alimentação. Na imagem, dois nativos da região assam as enormes aranhas para comer. Foto: Timothy Allen
  • Nos campos e planícies, tema de um dos episódios da série, comunidades lutam para conseguir alimento, apesar da possibilidade de domésticar e criar animais mais facilmente. Nas estepes da Mongólia, um grupo de nômades precisa laçar éguas selvagens para conseguir leite. Foto: Timothy Allen
  • No oeste da Mongólia, a paisagem montanhosa exige outras técnicas de caça dos homens cazaques que vivem na região. Para conseguir capturar animais no ambiente de difícil locomoção, eles treinam águias douradas para encontrar raposas e lobos com sua visão aguçada. Foto: Timothy Allen
  • Nas montanhas de Papua Nova Guiné, o povo da província de Sepik do leste caça morcegos, abundantes na região, e os prepara para comer. Foto: Timothy Allen
  • A série mostra anida a vida perto dos oceanos, que fez com que homens criassem alianças sólidas com animais marinhos para sobreviver. Na Malásia, os homens do povo Bajau, conhecidos como “ciganos do mar” vivem em barcos e mergulham sem equipamentos em profundidades de até 25 metros para caçar. Foto: Timothy Allen
  • Em Laguna, no estado brasileiro de Santa Catarina, golfinhos e pescadores trabalham juntos para conseguir alimento. As fêmeas do animal ensinam seus filhotes a cooperar com os homens, espantando os peixes em direção à parte rasa dos rios, onde eles se posicionam com suas redes de pesca. Foto: Timothy Allen
  • O primeiro episódio acompanha um ano na vida de habitantes do Ártico. Na comunidade de Ilulissat, na Groenlândia (foto), trenós puxados por cachorros são essenciais para o transporte e a caça no inverno. Foto: Timothy Allen
  • Em Zanskar, na parte indiana da cordilheira do Himalaia, famílias tentam transpor as lâminas de gelo de um rio, durante o inverno que atinge duramente a região. Na foto, um pai leva uma filha para a escola percorrendo 100 quilômetros pelo rio semi-congelado. Foto: Timothy Allen
  • Em Djenne, no Mali, as cheias do rio Niger e do rio Bani possibilitaram a construção de uma cidade cujas casas são inteiramente feitas de adobe. A mesquita central de Djenne é a maior construção feita de lama no mundo. Foto: Timothy Allen
  • Uma vez por ano, os habitantes da cidade recolhem a lama produzida pelas cheias do rio e reforçam as paredes do templo, no principal festival da cidade. A festa acontece durante a seca do rio, quando a temperatura em Djenne chega a 40 graus centígrados. Foto: Timothy Allen
  • No penúltimo episódio da série, sobre os rios, a equipe foi até a floresta amazônica brasileira para mostrar a relação das populações ribeirinhas com a fauna da região. Na imagem, uma família solta filhotes de tartaruga no rio Negro. Foto: Timothy Allen
  • As cidades, tema do último episódio, são consideradas os maiores êxitos da humanidade e já concentram mais da metade da população mundial. No entanto, o ambiente urbano também oferece desafios à sobrevivência. Na imagem, uma mulher busca comida em um aterro sanitário em Mombasa, no Quênia. Foto: Timothy Allen
  • A produção da série Human Planet visitou 70 lugares em todo o mundo, durante três anos. O programa terminou de ser transmitido nesta semana na BBC britânica. Na imagem, a equipe de filmagem captura mineiros extraindo enxofre de um vulcão ativo na ilha de Java, na Indonésia. Foto: Timothy Allen

O fotógrafo Timothy Allen acompanhou os produtores da elogiada série de TV Human Planet, da BBC, que destacou maneiras criativas encontradas por grupos humanos de sobreviver em ambientes inóspitos e hostis em várias partes do mundo.

Em oito episódios, a série, que terminou de ser transmitida nesta semana - e teve alguns de seus personagens destacados em matérias da BBC Brasil -, mostrou os desafios enfrentados por povos em montanhas, cidades, florestas, planícies, desertos, às margens de rios e oceanos e em regiões geladas.

O fotógrafo acompanhou a equipe de produção a lugares como Papua Nova Guiné, República da África Central, Groenlândia e Brasil, registrando o dia a dia das filmagens e das comunidades nativas.

Nas imagens, Allen mostra a caça com a ajuda de águias na Mongólia, os mergulhos profundos dos "ciganos do mar" da Malásia, um festival de lama na África e a cooperação entre golfinhos e pescadores no sul do Brasil.

O programa demorou três anos para ser produzido e foi filmado em mais de 70 lugares em todo o mundo.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.