Economia

PIB do Brasil cresce 7,5% em 2010 e tem maior alta em 24 anos

BBC

Crescimento da economia no 4º trimestre do ano passado foi de 0,7%

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro apresentou um crescimento de 7,5% no ano de 2010, a maior alta para o indicador desde 1986, quando também foi registrada variação de 7,5%.

Segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo IBGE, no quatro trimestre de 2010, a alta foi de 0,7% em relação ao trimestre anterior. Na comparação com o mesmo período de 2009, a variação foi de 5%.

A maior variação do PIB no país foi registrada em 1973, quando o crescimento chegou a 14%.

Em valores correntes, o PIB alcançou R$ 3,675 trilhões em 2010. O PIB per capita ficou em R$ 19.016, apresentando uma alta de 6,5%, em volume, em relação a 2009, quando foi de R$ 16.634.

Entre os setores da economia, a indústria teve alta de 10,1% no PIB em 2010, enquanto a agropecuária cresceu 6,5% e os serviços, 5,4%.

No entanto, no quarto trimestre, o único setor a ter alta no PIB foi o de serviços, com 1%. A indústria encolheu 0,3%, enquanto a agropecuária teve queda de 0,8%.

PIB do Brasil: variação nos últimos 10 anos

2010: 7,5%
2009: -0,6%
2008: 5,2%
2007: 6,1%
2006: 4,0%
2005: 3,2%
2004: 5,7%
2003: 1,1%
2002: 2,6%
2001: 1,3%
* Fonte: IBGE

O IBGE também divulgou revisões em relação a dados trimestrais do PIB de 2010. No segundo semestre, a alta foi revisada para baixo, de 1,8% para 1,6%. A variação do terceiro trimestre também foi rebaixada, de 0,5% para 0,4%.

Para o economista e professor da PUC-SP Antonio Corrêa de Lacerda, um dos fatores que contribuíram para o bom resultado no ano passado foi o conjunto de medidas adotadas pelo governo em 2009, quando houve aumento de gastos públicos, redução de impostos e expansão do crédito, o que contribuiu para um aumento do consumo.

Lacerda acrescenta, no entanto, que a variação expressiva do PIB em 2010 também se deve, pelo menos em parte, ao fato de a economia brasileira ter encolhido no ano anterior, quando a crise global provocou uma retração de 0,6%.

"Este crescimento é normal, considerando que a base de comparação é fraca", avalia o economista.

Superaquecimento

Já o professor de Macroeconomia da FGV-SP Robson Gonçalves observa que os números do ano passado indicam uma recuperação da economia ainda acima do nível de 2008 (quando o PIB cresceu 5,2%), algo que outros países ainda não conseguiram.

Na opinião de Gonçalves, no entanto, o resultado de 2010 também reforça os sinais de que houve um superaquecimento da economia brasileira no ano passado.

"As medidas anticíclicas tomadas em 2009 foram excessivamente voltadas para o consumo”, diz o economista. “Some-se a isso a falta de investimento produtivo, temos um desequilíbrio entre oferta e demanda, gerando superaquecimento.”

Na comparação com o resultado do PIB de outros países em 2010, a alta do Brasil é superior à dos Estados Unidos, que foi de 2,8%, e da União Europeia, com 1,7%. No entanto, o país ficou atrás de China (10,3%) e Argentina (9,1%).

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.