Doação ilegal causa renúncia de chanceler do Japão

O ministro Seiji Maehara Direito de imagem Reuters
Image caption Renúncia de Maehara é mais um revés para premiê Naoto Kan

O ministro das Relações Exteriores do Japão, Seiji Maehara, anunciou sua renúncia ao cargo após ter recebido críticas por ter aceito uma doação política ilegal.

Maehara, que era cotado para sucedor o atual primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, vinha sofrendo fortes pressões para renunciar, por parte dos partidos de oposição.

O chanceler, que permaneceu no cargo por apenas seis meses, aceitou uma doação política ilegal de um doador sul-coreano, no valor de US$ 50 mil ienes (cerca de R$ 976).

A acusação veio à tona durante uma sessão do Parlamento na semana passada.

Incialmente, Maehara disse que não sabia da doação, mas em seguida reconheceu que ela havia sido feita por um correligionário de etnia coreana, mas residente no Japão, a quem conhece desde a infância.

Leis

A legislação japonesa proíbe políticos de aceitar doações feitas por estrangeiros, mesmo se eles residem há muito tempo no país.

''Peço desculpas ao povo por estar renunciando apenas seis meses após ter assumido o cargo e por provocar quebra de confiança devido a esse problema envolvendo política e dinheiro. Apesar de meus esforços em fazer uma política honesta'', afirmou Maehara.

A renúncia do ministro é mais um episódio a minar a já combalida administração do primeiro-ministro Naoto Kan.

Kan é o quinto premiê do Japão em apenas quatro anos. E sua popularidade atualmente está abaixo de 20%.

Notícias relacionadas