Empregadores brasileiros ficam entre os 'mais otimistas' em relação a empregos

Prédio sendo construído em São Paulo Direito de imagem Wikimedia Commons
Image caption Setor da construção é o mais otimista (Foto: Gar.Arq/ Wikimedia Commons)

Os empregadores brasileiros estão entre os mais otimistas em relação às contratações para o próximo trimestre, segundo uma pesquisa conduzida em 39 países pela consultoria de recursos humanos Manpower.

Entre os entrevistados no Brasil, 45% esperam a criação de mais vagas nos próximos três meses, principalmente na construção civil e nos serviços financeiros. Apenas 5% esperam uma diminuição nas contratações.

A consultoria calcula então que o Brasil tem um "saldo de expectativas" de 40% para o período abril-junho.

Só Índia (51%) e Taiwan (45%) têm um saldo entre expectativas otimistas e pessimistas superior ao do Brasil.

Nos países desenvolvidos, a postura é mais cautelosa: os Estados Unidos registraram 8%, assim como a Alemanha, enquanto a França registrou 3%.

No fim da lista, com expectativas de cortes superando as expectativas de mais empregos, estão países mais atingidos pela crise económica: Grécia (-10%), Espanha (-5%), Irlanda (-3%) e Itália (-2%).

"Nossos dados mostram dois retratos muito diferentes da recuperação econômica", explicou o diretor da Manpower, Jeffrey A. Joerres.

"De um lado do espectro, vemos os mercados emergentes em intensa atividade, com os empregadores enfrentando uma carência de talentos. Do outro, países como os EUA e o Japão, onde o ritmo das contratações está melhorando, mas claramente ainda longe da velocidade total."

O executivo disse esperar que essa "recuperação desigual e em diferentes ritmos" persista ao longo de 2011.

A pesquisa ouviu 64 mil pessoas em 39 países. Destes, 33 registraram mais avaliações positivas que negativas.

Os respondentes responderam à pergunta: "Qual a sua previsão de variação no número total de funcionários em seu local de trabalho, comparando o trimestre atual (janeiro, fevereiro e março de 2011) com o seguinte (abril, maio e junho de 2011)?"

Em termos regionais, os empregadores nas Américas e na região da Ásia Pacífico foram os que demonstraram mais otimismo nas respostas.

Notícias relacionadas