Colômbia diz ter resgatado 21 trabalhadores sequestrados em massa

Foto de arquivo do Exército colombiano Direito de imagem AP
Image caption Militares resgataram quase todos os sequestrados

O Ministério da Defesa colombiano disse nesta terça-feira que forças do governo libertaram 21 dos 23 trabalhadores que haviam sido sequestrados no leste do país, num crime que está sendo atribuído às Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

Os 23 homens trabalham para uma companhia canadense de exploração de petróleo e foram sequestrados em uma área de selva.

O ministro da Defesa, Rodrigo Rivera, disse à imprensa local que os soldados conseguiram fazer o resgate depois que um dos homens escapou do cativeiro durante a noite e disse ao Exército onde estavam os outros.

As buscas por um último trabalhador que havia sido sequestrado continuam.

A suspeita de que as Farc estão por trás do crime foi reforçada pelo fato de que o sequestro ocorreu no departamento (Estado) de Vichada, onde o grupo guerrilheiro e narcotraficantes têm forte presença.

Resgate

Segundo o jornal colombiano El Tiempo, a operação de resgate aconteceu durante a noite e foi liderada pelo general Alejandro Navas, comandante do Exército.

O jornal diz que a ordem do governo é capturar o grupo de sequestradores, que seria formado por dois homens e uma mulher.

Durante a coletiva de imprensa, o ministro da Defesa Rodrigo Rivera disse que "o mundo caiu em cima destes terroristas".

"Todos os resgatados se encontram em bom estado de saúde, mas ainda estamos em operações militares. Estamos redobrando todos os esforços para garantir que possamos encontrar o que falta o mais rápido possível", disse.

Os trabalhadores são técnicos e engenheiros da empresa South Exploration America, contratada pela petroleira canadense Talisman, e faziam análises na cidade de Cumaribo.

Segundo o El Tiempo, trata-se do maior sequestro na Colômbia desde 2008, quando a guerrilha fez 30 turistas reféns.

Notícias relacionadas