Khadafi lança ofensiva diplomática em países ocidentais

Direito de imagem Reuters
Image caption Otan discute imposição de bloqueio aéreo, para evitar bombardeios como em Ras Lanuf

O líder líbio Muamar Khadafi está enviando emissários para reuniões oficiais com líderes de países ocidentais, incluindo membros da União Europeia.

Representantes líbios já tiveram ou vão ter encontros com oficiais de países como Egito, Portugal, Grécia, Malta e França.

Eles também vão se reunir com ministros da Otan e da União Europeia (EU), que terão encontros emergenciais em Bruxelas, capital da Bélgica, para discutir a situação na Líbia.

Os 27 ministros da União Europeia vão se encontrar em Bruxelas na quinta-feira. No dia seguinte, os ministros da Defesa dos 28 membros da Otan vão avaliar a possibilidade de impor um bloqueio aéreo na Líbia.

Leia mais na BBC Brasil: Khadafi ameaça com revolta armada contra zona de exclusão aérea

Na terça-feira, o secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, disse não haver a intenção de intervir na Líbia. “Mas como uma aliança de defesa e organização de segurança, nosso trabalho é conduzir um plano prudente para qualquer eventualidade.”

Cairo e Lisboa

Segundo a rede Al-Jazeera, o vice-ministro da Defesa da Líbia, Abdelrahman al-Zawi, já está no Cairo para levar uma mensagem de Khadafi ao conselho militar que está governando o país e também ao chefe da Liga Árabe, Amr Moussa.

A rede informou ainda que há uma delegação do governo líbio, com vários oficiais, em Bruxelas.

De acordo com a agência de notícias Lusa, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Luís Amado, recebeu nesta quarta-feira em Lisboa um enviado de Khadafi.

Segundo a chancelaria do país, que não informou o nome do representante, o encontro foi “informal” e realizado “a pedido das autoridades líbias”.

Na véspera da reunião, o governo português informou à alta representante da UE para Política Externa e Segurança, Catherine Ashton, sobre o encontro.

O premiê de Malta, Lawrence Gozi, também recebeu enviados de Khadafi.

Ainda nesta quarta-feira, a TV estatal líbia ofereceu uma recompensa de quase US$ 500 milhões de dólares pela captura de Mustafá Abd al-Jalil, ex-ministro de Khadafi que se converteu em um dos líderes da oposição.

Notícias relacionadas