Polícia abre fogo contra manifestantes na Arábia Saudita

Qatif/Reuters Direito de imagem BBC World Service
Image caption O protesto reuniu centenas de pessoas na cidade de Qatif

A polícia saudita abriu fogo contra manifestantes que pediam reformas políticas durante manifestação nesta quinta-feira na cidade de Qatif, no leste do país.

Testemunhas afirmam que três pessoas ficaram levemente feridas.

Apesar de avisos do governo de que os protestos seriam reprimidos, centenas de manifestantes foram às ruas pelo segundo dia consecutivo pedir a libertação de prisioneiros políticos.

Muitos manifestantes vestiam máscaras para evitar identificação, durante o protesto iniciado após o entardecer.

A polícia disparou bombas de efeito moral e tiros para o alto, dispersando a multidão.

Valores

Correspondentes dizem que a Arábia saudita vem tentando evitar a onda de protestos pró-democracia que assola o mundo árabe e causou a queda dos governos de Egito e Tunísia.

No mês passado o regime anunciou um pacote inédito de US$ 36 bilhões que proporcionará aos cidadãos empréstimos sem juros, assistência a desempregados e o perdão de dívidas.

O governo também reiterou que as manifestações são proibidas por serem anti-islâmicas e contra os valores da sociedade saudita.

Até agora, as manifestações têm sido pequenas e concentradas no leste, entre a minoria xiita que pede a libertação de prisioneiros políticos.

Os xiitas representam 10% da população saudita e acusam o governo sunita de discriminação.

Ativistas disseram que pretendem organizar uma grande manifestação na capital saudita, Riad, na sexta-feira.

O regime saudita é considerado bastante repressor, com uma das imprensas mais controladas do mundo.

Notícias relacionadas