Tragédia no Japão

Radiação em usina japonesa aumenta quatro mil vezes

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Os níveis de radiação dentro da usina nuclear de Fukushima Daiichi, danificada pelo terremoto desta sexta-feira, aumentaram quatro mil vezes, de acordo com o governo japonês.

Foi ordenada a evacuação em massa de mais de três mil pessoas num raio de 10 km da usina, por temores de possíveis vazamentos na usina, a 270 km a nordeste de Tóquio.

A pressão dentro de um dos seis Reatores de Água Fervente (BWRs, na sigla em inglês) na usina aumentou após o sistema de refrigeração ter sido danificado pelo terremoto de magnitude 8,9. No portão da usina, a radiação aumentou oito vezes.

O calor produzido pela atividade nuclear dentro do núcleo do reator necessita ser dissipado, mesmo após seu desligamento.

Usina de Fukushima Daiichi/AP

Cerca de três mil moradores das redondezas foram retirados de suas casas

Se o dano no sistema de resfriamento persistir, há a possibilidade de a radiação vazar no meio-ambiente e, no pior cenário, causar o derretimento do reator.

Autoridades japonesas afirmaram que podem deliberadamente liberar um pouco de radiação para aliviar a pressão.

O governo decretou estado de emergência na região.

Os EUA negaram relatos de que haviam fornecido um sistema de resfriamento ao governo japonês.

Um pequeno incêndio na usina foi controlado em duas horas. Ocorreu um incêndio também em outra usina, de Onagawa, que levou oito horas para ser controlado.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.