Oriente médio

Família de colonos israelenses é assassinada a facadas na Cisjordânia

Bloqueio do Exército israelense perto do assentamento de Itamar (AP)

Bloqueio do Exército israelense perto do assentamento de Itamar (AP)

Cinco integrantes de uma mesma família de colonos, moradores do assentamento israelense de Itamar, na Cisjordânia, foram mortos a facadas enquanto dormiam.

O Exército de Israel cercou a região e fez buscas pelos autores do ataque. Soldados israelenses prenderam dezenas de palestinos em aldeias próximas ao assentamento, a maioria deles militantes do Hamas.

De acordo com o repórter da radio estatal israelense Gal Berger, um dos palestinos presos é um militante do Hamas cujo irmão foi morto por soldados israelenses um ano atrás.

Entre as vitimas do ataque estão um bebê de um mês de idade, uma criança de três anos, outra de 11 e os pais.

O Exército israelense decretou o toque de recolher nas aldeias palestinas próximas ao assentamento de Itamar, que fica no distrito de Nablus.

Os sites dos grupos palestinos Hamas e Jihad Islâmico elogiaram o ataque e o qualificaram como "operação heroica", mas os grupos não assumiram a autoria do ataque.

No entanto, o primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad, condenou o ataque.

"Violência não justifica violência", disse Fayyad. "Condenamos qualquer ato de violência, independentemente da identidade das vítimas e dos autores."

Cerca cortada

Segundo a radio estatal de Israel, "o ataque foi cometido por um ou vários terroristas palestinos".

O general Avi Mizrahi, comandante das tropas israelenses na Cisjordânia, declarou que "as forças de segurança vão capturar os assassinos covardes que cometeram o atentado".

Os autores do ataque cortaram a cerca do assentamento por volta das 23 horas da sexta-feira e entraram pela janela na casa das vitimas, que se encontra próxima à cerca.

Duas horas depois os corpos das cinco vítimas foram descobertos quando uma das filhas, que havia saído, voltou para casa.

Outros dois filhos do casal, que estavam em outro quarto, foram encontrados vivos e não foram feridos.

Para Alon Ben David, analista militar do canal 10 da televisão israelense, depois do ataque a questão é se haverá atos de vingança por parte de colonos israelenses contra civis palestinos.

"Se houver o que os colonos chamam de 'cobrança de preço', poderá ter início uma nova onda de violência na região", afirmou Ben David.

O líder dos colonos na Cisjordânia, Danny Dayan, declarou que "não há palavras para expressar o horror e a dor".

"Aqueles que se iludiram pensando que os palestinos mudaram de atitude e que podemos confiar na colaboração com eles, hoje receberam um tapa na cara", afirmou Dayan.

O ataque ocorre em meio à paralisia das negociações entre israelenses e palestinos, suspensas desde setembro de 2010.

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, declarou que não está disposto a voltar à mesa de negociações se Israel não congelar a construção de assentamentos na Cisjordânia.

Tópicos relacionados

    BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

    Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.