Milhares de palestinos pedem união entre Fatah e Hamas

Manifestante em Gaza/15 de março Direito de imagem BBC World Service
Image caption Os manifestantes evitaram bandeiras do Hamas ou do Fatah

Milhares de palestinos saíram nesta terça-feira às praças das principais cidades da Faixa de Gaza e da Cisjordânia levantando cartazes pedindo a união dos dois principais grupos palestinos, o Fatah e o Hamas.

A maior manifestação, da qual, de acordo com a mídia palestina, participaram cerca de 300 mil pessoas, ocorreu na praça principal da cidade de Gaza.

Simultaneamente, milhares de pessoas se manifestaram na praça principal de Ramallah, na Cisjordânia.

Em ambas as manifestações não foram levantadas bandeiras dos partidos rivais, Fatah e Hamas, mas só a bandeira palestina e cartazes pedindo a união e a reconciliação.

Facebook

As manifestações foram resultado de um movimento iniciado por jovens palestinos por intermédio do site Facebook, seguindo o exemplo de jovens egípcios, que também utilizaram a rede social para organizar protestos contra o regime do ex-presidente Hosni Mubarak, que renunciou no mês passado.

Os jovens, que criaram há algumas semanas uma página no Facebook pedindo a união entre o Fatah e o Hamas, estabeleceram a data para manifestações simultâneas na Faixa de Gaza e na Cisjordânia para esta terça-feira.

O grande número de participantes, segundo a imprensa palestina, foi acima do esperado.

Pouco antes das manifestações, o líder do Hamas na Faixa de Gaza, Ismail Haniyeh, declarou que convida o presidente Mahmoud Abbas "para um encontro imediato, com o objetivo de colocar um fim ao confronto (entre os grupos)".

Falando sobre o movimento em discurso em Ramallah, o presidente palestino Mahmoud Abbas afirmou que "o povo realizou hoje grandes manifestações pedindo o fim da ruptura interna, e estamos com ele".

Antes das manifestações, tanto os líderes do Fatah como os do Hamas, garantiram que as forças policiais iriam permitir a realização dos protestos.

Segundo testemunhas em Gaza, no final da manifestação, policiais do Hamas à paisana teriam agredido manifestantes que ainda se encontravam reunidos na praça, depois que a maioria já havia se dispersado.

Histórico

A cisão entre os partidos se agravou em junho de 2007, quando o Hamas tomou à força o poder na Faixa de Gaza, expulsando a liderança do Fatah da região, onde moram 1,5 milhão de palestinos.

O Fatah, partido secular liderado pelo presidente palestino Mahmoud Abbas, governa parcialmente a Cisjordânia (habitada por 2,5 milhões de palestinos) e defende um acordo de paz com Israel e a solução de dois Estados.

O Hamas, partido islâmico que ganhou as eleições para o Parlamento palestino em 2006, não reconhece a existência de Israel e se opõe aos acordos de Oslo, assinados entre Israel e a OLP (Organização de Libertação da Palestina).

A cisão entre os dois partidos e entre as duas unidades geográficas governadas por eles é vista como um fator que torna ainda mais difícil a solução do conflito entre Israel e os palestinos.

Notícias relacionadas