Multidão acompanha a chegada de Obama ao hotel em Copacabana

Barack Obama e família Direito de imagem AFP
Image caption Obama chegou ao Rio de Janeiro na noite de sábado

Uma multidão de cariocas se aglomerou na praia de Copacabana para acompanhar a chegada do presidente Barack Obama neste sábado, mas pode ver pouco mais do que os veículos do comboio do presidente e o forte aparato de segurança que o rodeia.

Após passar o dia em Brasília, Obama chegou à Base Aérea do Galeão às 20h15. Numa comitiva de carros pretos com bandeiras americanas na janela, entrou pela garagem do hotel JW Marriott, na Avenida Atlântica, às 21h.

A multidão, que até as 19h procurava garantir um espaço na calçada do hotel para ver a chegada, foi afastada por paraquedistas do Exército e teve que esperar no calçadão de Copacabana, separada do hotel por seis pistas de trânsito.

As pessoas se concentraram sobre a ciclovia que margeia a praia, onde corredores ainda tentavam passar e ambulantes procuravam aproveitar a multidão para vender biscoitos e milho.

Pelo menos 150 paraquedistas do Exército estavam envolvidos na segurança ao redor do hotel e no acompanhamento da comitiva do presidente da base aérea até a Zona Sul. Homens das polícias federais, militar e do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas foram destacados para o cobrir o perímetro do hotel.

Pouco antes de a comitiva chegar, um helicóptero começou a sobrevoar o local e dois tanques blindados Urutu, do Exército Brasileiro, se posicionaram em frente ao hotel.

Tanque de guerra

Image caption Homem mostra cartaz que fez para o presidente americano Barack Obama

O aparato militar surpreendeu alguns. "Nossa, tanque de guerra! Esse povo está no Brasil, gente, aqui não precisa disso tudo, não", disse um rapaz na multidão.

Após o dia em Brasília, Obama chegou à Base Aérea do Galeão no avião Air Force One e seguiu de helicóptero até o campo de futebol do Flamengo na Lagoa Rodrigo de Freitas, já que os helipontos existentes próximos ao hotel não eram grandes o suficiente para aeronave.

Com sua câmera em punhos para tentar registrar alguém da família Obama, o historiador Fernando de Oliveira, de Taubaté, saiu de mãos abanando, mas ainda assim diz que valeu a pena fazer plantão para esperar o presidente.

"Daqui a alguns anos, quando alguém comentar sobre a viagem do Barack Obama ao Brasil em 2011, vou poder dizer que eu participei e estava próximo dele. É um momento histórico, a primeira visita dele ao Brasil. E foi bom ver o barulho todo, o movimento da chegada."

O carioca Carlos Henrique do Nascimento foi um dos primeiros a chegar. "Cheguei às 14h e fiquei na praia sentado vendo o mar, esperando a hora passar", disse ele. Em um cartaz de cartolina, ele escreveu sua mensagem: "Seja bem-vindo à cidade mais linda do mundo, Obama. Você é o cara."

Já a jovem Júlia Carolina Lima Rocha, de 11 anos, estava lá com a avó na esperança de ver Michelle Obama. "Eu quero ver o vestido da primeira-dama. Acho ela muito elegante, e como eu gosto de coisa brilhosa queria ver como ela vai estar", dizia antes de a comitiva chegar.

Entre os curiosos havia também um Michael Jackson e um Charles Chaplin. Roberson Martins de Carvalho se veste de Chaplin para ganhar trocados na praia e resolveu esperar, ainda a caráter, a chegada do presidente, torcendo para conseguir falar com Obama.

"Quero ver se ele não pode fazer uma visita a Campo Grande, onde moro, para ver se não fazem umas obras emergenciais por lá também", disse, fazendo alusão às pinturas e recapeamentos de última hora que foram feitos na Cidade de Deus para receber o presidente.

Discurso fechado

Image caption Multidão acompanha a chegada da comitiva de Obama a hotel no Rio

O movimento em frente ao hotel continuou ao longo da próxima hora, com outros carros da comitiva chegando e muitas pessoas ainda com esperança de ver o presidente americano, cuja aparição pública na Cinelândia no domingo, onde daria um discurso aberto, foi cancelada.

A programação de Obama no Rio deve começar no Corcovado, em visita que não inclui a presença do governador Sérgio Cabral e do prefeito Eduardo Paes. Obama segue para a Cidade de Deus, na Zona Oeste, para conhecer uma favela que tem a presença da Unidade de Polícia Pacificadora.

De tarde, Obama fará o mesmo discurso que faria ao ar livre a uma plateia mais restrita no Teatro Municipal. Entre os convidados, divulgados somente sábado, estão Pelé, Gilberto Gil, Eike Batista e o casal de atores Lázaro Ramos e Taís Araújo.

A primeira-dama Michelle Obama deve ter uma agenda separada na parte da tarde, com planos de visitar a Cidade do Samba, onde ficam os galpões de fantasias das escolas de samba do Rio.

A família Obama permanece no Rio até a segunda-feira de manhã, quando segue para Chile e El Salvador.

Notícias relacionadas