Morre aos 79 anos atriz Elizabeth Taylor

Reuters Direito de imagem Reuters
Image caption Atriz foi indicada cinco vezes ao Oscar, tendo vencido duas vezes

A atriz anglo-americana Elizabeth Taylor, uma das maiores estrelas do cinema do século passado, morreu nesta quarta-feira em Los Angeles (Estados Unidos), aos 79 anos.

Segundo uma nota oficial, a atriz, ganhadora de dois Oscars, morreu "em paz" no hospital Cedars-Sinai, ao lado de seus quatro filhos.

Com um longo histórico de problemas no coração, Taylor havia sido internada seis semanas atrás, devido a sintomas de insuficiência cardíaca congestiva.

Taylor nasceu em 27 de fevereiro de 1932, no bairro de Hampstead (Londres). Filha de pais americanos, ela deu início a sua trajetória no cinema no início dos anos 1940, como atriz infantil.

O auge de sua carreira foi entre os anos 1950 e 60, quando se tornou uma das mais famosas estrelas de Hollywood, além de ser considerada uma das mais belas mulheres do mundo.

Entre os maiores sucessos da carreira de Taylor, estão Um Lugar ao Sol (1951), Assim Caminha a Humanidade (1956) e Cleópatra (1963) - no qual conheceu um de seus maridos, o ator britânico Richard Burton (1925-1984).

A atriz venceu o Oscar de melhor atriz duas vezes: por Disque Butterfield 8, em 1961, e por Quem Tem Medo de Virginia Woolf?, em 1967.

Ela foi indicada mais três vezes: em 1958, por A Árvore da Vida, em 1959, por Gata em Teto de Zinco Quente, e em 1960, por De Repente, No Último Verão.

Além de seus filmes, Taylor foi conhecida por sua vida pessoal atribulada. Ela teve sete maridos - com Richard Burton, a atriz chegou a casar-se duas vezes.

A partir dos anos 1980, depois da morte do ator Rock Hudson, Taylor também se notabilizou por participar de diversas campanhas de combate à Aids e pelos direitos dos homossexuais.

Direito de imagem Getty
Image caption Taylor em 'Cleópatra', filme no qual conheceu o ator Richard Burton

Além de quatro filhos, Taylor tinha dez netos e quatro bisnetos.

Saúde

A questões envolvendo a saúde de Taylor começaram em seu primeiro filme de sucesso, A Mocidade É Assim Mesmo (1944), quando sofreu uma queda durantes as filmagens, o que a levou a atriz a ter problemas nas costas durante toda a vida.

Em 1961, um raro tipo de pneumonia quase a matou. Além disto, Taylor passou por tratamentos para se livrar do alcoolismo e da dependência de analgésicos.

Nos anos 1990, ela passou por duas operações na bacia, além de sobreviver a mais uma crise de pneumonia e à retirada de um tumor benigno no cérebro.

Em 2004, foi divulgado que Taylor sofria de insuficiência cardíaca congestiva, com sintomas como fadiga, falta de ar e escoliose, o que prejudicou sua coluna.

Notícias relacionadas