Para Dilma, Alencar deixa marca indelével; Lula lembra vice como irmão

Lula e Dilma Roussef visitam José Alencar em dezembro de 2010 Direito de imagem AFP
Image caption Lula e Dilma viajarão para Brasília para o velório de Alencar

A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva lamentaram nesta terça-feira em Portugal a morte do ex-vice-presidente José Alencar.

Com os olhos marejados, a presidente disse que aquele era "um momento de muito sentimento" e afirmou que considera o ex-vice-presidente "uma das pessoas com quem foi uma grande honra ter convivido". "Ele deixa uma marca indelével nas nossas vidas", disse ela em Coimbra, poucos minutos após receber a notícia.

Ao seu lado, Lula disse que o momento era "de muita dor e sofrimento" e que sua relação com Alencar foi como uma relação entre "irmãos".

"Foi muito mais que a relação entre um presidente e um vice", afirmou o ex-presidente, que chorou por duas vezes ao falar sobre seu vice. "Vinha falando com ele todas as semanas, e o otimismo dele dava inveja."

Lula afirmou ter conhecido "poucos homens tão bons" como Alencar e elogiou sua "lealdade e capacidade de trabalho".

Para o ex-presidente, a morte de Alencar "foi um descanso para ele, que já estava sofrendo havia seis meses".

Leia mais na BBC Brasil sobre a morte de José Alencar

Encontros cancelados

Dilma, que decretou sete dias de luto oficial pela morte de Alencar, decidiu encurtar sua visita de dois dias a Portugal e cancelou os encontros que teria na tarde desta quarta-feira em Lisboa com o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, e com o presidente do país, Aníbal Cavaco Silva.

No entanto, a presidente decidiu manter sua presença na cerimônia de entrega do título de doutor honoris causa ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, marcada para a manhã desta quarta-feira na Universidade de Coimbra. Dilma e Lula devem voltar juntos ao Brasil logo após a cerimônia.

O ex-presidente disse que irá dedicar a Alencar o título de doutor honoris causa que receberá.

Dilma disse ainda que conversou por telefone com Josué, filho de José Alencar, e que lhe ofereceu o Palácio do Planalto para que o ex-vice-presidente seja velado.

Notícias relacionadas