Japão despeja água contaminada com radioatividade no Pacífico

Fumaça sai do reator de número 2 da usina de Fukushima Daiichi Direito de imagem Reuters
Image caption Medida visa impedir que material altamente radioativo chegue ao oceano

O Japão começou nesta segunda-feira a despejar 11,5 mil toneladas de água contaminada com um nível baixo de radioatividade no Oceano Pacífico.

O despejo faz parte da operação de emergência para estabilizar a usina nuclear de Fukushima Daiichi, que sofreu uma série de explosões após o tsunami e o terremoto que atingiram o Japão no último dia 11 de março.

A medida visa aumentar o espaço para armazenar água altamente contaminada do prédio que contém o reator de número 2 da usina.

O porta-voz do governo, Yukio Edano, afirmou que o despejo de água não representará um sério risco à saúde.

Operação

''Estamos dando prioridade a impedir o fluxo de água altamente contaminada para o mar'', disse o porta-voz.

A remoção de água contaminada dos prédios que abrigam os reatores diversos é necessária para reduzir os riscos oferecidos aos trabalhadores que estão trabalhando no local.

A água contaminada também atrapalha os trabalhos de resfriamento da usina.

A ação das autoridades japonesas expõe também o fato de que estão começando a faltar opções para empresa que controla a usina, a Tepco, em termos de lugares para estocar água contaminada.

Leia mais na BBC Brasil: Técnicos usam corantes para achar rota de vazamento radioativo

Notícias relacionadas