Resultados preliminares dão vitória a cantor popular em eleição no Haiti

Michel Martelly Direito de imagem Reuters
Image caption Martelly deve assumir um país destroçado pelo terremoto de 2010

Resultados preliminares da eleição presidencial no Haiti indicam que o cantor popular Michel Martelly venceu o segundo turno do pleito, realizado no dia 20 de março.

Ele derrotou a ex-senadora e ex-primeira-dama Mirlande Manigat, segundo as autoridades eleitorais.

O comparecimento às urnas no segundo turno foi alto e a votação foi pacífica, apesar de algumas acusações pontuais de fraude.

O Haiti ainda luta para se recuperar após o terremoto de janeiro de 2010, que deixou mais de 200 mil mortos, e de uma epidemia de cólera iniciada no ano passado.

Os resultados finais das eleições não devem ser divulgados antes do dia 16 de abril.

Segundo o correspondente da BBC Andy Gallacher, se Martelly for confirmado como presidente, enfrentará sérios desafios.

Centenas de milhares de sobreviventes do terremoto ainda vivem em barracas improvisadas, e a epidemia de cólera que já matou milhares continua fora de controle.

Martelly não tem experiência política, mas sua mensagem de reformas foi bem recebida pelas camadas mais baixas da população haitiana.

Apoio

O cantor se beneficiou do apoio de cinco candidatos eliminados no primeiro turno. O músico Wyclef Jean, que teve sua candidatura impugnada ainda no primeiro turno, também apoiou Martelly.

Observadores internacionais afirmaram que o segundo turno foi mais bem organizado que o primeiro, em novembro, que teve comparecimento de apenas 23% dos eleitores.

O segundo turno deveria ter sido realizado em janeiro, mas acabou sendo adiado devido a suspeitas de fraudes no primeiro turno e à recontagens dos votos.

O candidato Jude Celestin, que tinha o apoio do presidente René Preval, havia sido indicado inicialmente como concorrente de Manigat no segundo turno, mas se retirou da disputa após os observadores internacionais terem indicado fraudes generalizadas a seu favor na votação.

O mandato de Preval terminou formalmente no dia 7 de fevereiro, mas ele recebeu aprovação parlamentar para permanecer até o dia 14 de maio por conta do atraso na realização do segundo turno.

Notícias relacionadas