França quer proibir carros antigos no centro de oito cidades

Rua de Paris.
Image caption Medida do governo proibirá carros antigos de circularem nas ruas

O governo francês anunciou nesta quarta-feira um projeto-piloto que prevê proibir carros, motos e caminhões antigos, mais poluentes, de circularem em áreas centrais de oito grandes cidades do país.

Cerca de 10 milhões de veículos da França, de uma frota total de 41 milhões, deverão ser afetados pelo projeto, que entra em vigor a partir de 2012 em cidades como Paris, Lyon, Nice, Grenoble e Bordeaux, entre outras.

O plano do governo prevê a proibição da circulação de veículos em função do ano de fabricação, de acordo com a emissão de partículas finas esperada para cada categoria deles.

No caso de carros particulares e caminhonetes, por exemplo, serão submetidos às maiores restrições os veículos fabricados antes de setembro de 1997. Isso corresponde, segundo os cálculos do jornal francês Le Parisien, a cerca de um quarto da frota de carros do país.

As motocicletas fabricadas antes de junho de 2004, que totalizariam 1,6 milhão, e os ônibus e caminhões fabricados antes de outubro de 2001 (quase metade da frota), muito antigos para serem equipados com filtros, também não poderão circular em áreas centrais, segundo a proposta.

Saúde

Caberá a cada prefeitura que participa do projeto, voluntariamente, determinar a área geográfica da cidade onde serão criadas Zonas de Ações Prioritárias para o Ar (Zapa), nas quais será aplicada a proibição, e também as categorias de automóveis que serão excluídas nesses locais.

No projeto, o governo sugere a aplicação de multas aos infratores, mas a definição dos critérios de fiscalização também ficou para as prefeituras.

Segundo a ministra do Meio Ambiente e dos Transportes, Nathalie Kosciusko-Morizet, a nova lei está relacionada à saúde dos cidadãos.

"A poluição provocada pelas partículas finas causa anualmente 42 mil mortes na França e diminui em oito meses nossa esperança de vida, sem contar as crises de asma, alergias e doenças respiratórias", disse.

"Nosso objetivo é generalizar essas Zonas de Ações Prioritárias para o Ar em toda a França."

"Sabemos que não será possível excluir todos os veículos de uma só vez do centro urbano. As prefeituras poderão agir progressivamente, proibindo a circulação de caminhonetes de entregas ou de caminhões muito poluidores", afirmou Kosciusko-Morizet.

Segundo ela, as prefeituras poderão, por exemplo, criar um sistema de selos para colar no para-brisa, que indicariam a categoria do veículo com base em seu nível de poluição.

O projeto-piloto, que não precisará ser submetido ao Parlamento francês, será adotado em princípio por três anos.

Gás carbônico

Segundo diretor-geral do Automóvel Clube de Paris, Jean-Philippe Monnatte, a proposta é discriminatória.

"É uma medida que visa excluir dos centros das cidades as pessoas de baixa renda, que não têm condições de comprar um carro novo", afirma.

Políticos parisienses do Partido Verde criticaram o projeto do governo, afirmando que ele não leva em conta o grau de emissão de gás carbônico, o que pode excluir da lista de veículos proibidos os carros grandes de luxo e os 4x4.

No entanto, a ministra francesa disse que o "futuro nas grandes cidades será para os carros pequenos e os veículos elétricos".

Recentemente, a Comissão Europeia criticou a França por não respeitar as normas sobre os limites de emissões de partículas finas. O órgão ameaça multar o país em até 300 mil euros por dia.

Notícias relacionadas