Ataques de Israel matam seis pessoas em Gaza, dizem testemunhas

Homem deitado depois de disparo de foguetes por palestinos contra Nahal Oz (AP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Disparos de foguetes palestinos atingiram área perto de Nahal Oz

Médicos informaram que seis pessoas morreram em um ataque aéreo de Israel na manhã desta sexta-feira na Faixa de Gaza, em retaliação ao movimento islâmico Hamas.

Pelo menos duas das vítimas eram mulheres e três eram civis. O Hamas confirmou a morte de dois de seus integrantes.

O ataque ocorreu horas depois de uma oferta de cessar-fogo do Hamas. O movimento islâmico fez a proposta em troca da suspensão dos ataques israelenses contra o território palestino.

Na noite de quinta-feira, o Hamas, que governa a Faixa de Gaza, se reuniu com outras facções militantes e fechou um acordo para impor um cessar-fogo, para que esses grupos parem de disparar contra Israel se os israelenses também suspenderem seus ataques.

No entanto, segundo o correspondente da BBC na Cidade de Gaza Jon Donnison, nenhum dos dois lados parece ter mantido a trégua por muito tempo.

Donnison afirma que os disparos da artilharia israelense e seus ataques aéreos foram ouvidos pela Faixa de Gaza durante todo o dia. E pelo menos seis foguetes foram disparados contra Israel, acertando uma área ao norte de Gaza, segundo informações da polícia israelense.

Ainda não se sabe se os novos ataques do lado palestino indicam um fim do cessar-fogo por parte do Hamas ou se os disparos de foguetes foram feitos por um grupo palestino dissidente.

Resposta

No mês de março ocorreram os episódios mais violentos dentro e em volta da Faixa de Gaza desde a grande ofensiva de Israel na região, entre 2008 e 2009.

Pelo menos dez palestinos foram mortos desde quinta-feira e outras dezenas ficaram feridos.

Israel afirma que os disparos desta sexta em Gaza são uma resposta aos ataques contínuos de foguetes e morteiros promovidos por militantes palestinos, em especial a um ataque promovido na última quinta-feira contra um ônibus escolar israelense perto do kibbutz de Nahal Oz (sul do país). Dois israelenses ficaram feridos, inclusive um menino de 16 anos, que sofreu um ferimento grave na cabeça.

Militantes das Brigadas al-Qassam, o braço militar do Hamas, assumiram responsabilidade pelo ataque e, por sua vez, disseram que a ação foi uma resposta à morte de líderes do Hamas na semana passada.

O ataque contra o ônibus escolar israelense foi condenado pelos Estados Unidos, que afirmaram estar preocupados com informações de que militantes da Faixa de Gaza teriam usado armamento sofisticado para atingir civis.

Notícias relacionadas