Acordo no Congresso evita paralisação do governo nos EUA

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Obama elogiou os congressistas após o anúncio do acordo

Líderes republicanos e democratas nos Estados Unidos chegaram na noite desta sexta-feira a um acordo sobre o orçamento do país que evita a paralisação das atividades do governo.

O orçamento irá financiar as operações do governo americano até 30 de setembro, quando chega ao fim o atual ano fiscal, e os republicanos vinham exigindo cortes mais significativos do que os defendidos pelos democratas.

Pelo acordo, estão previstos cortes de US$ 39 bilhões (cerca de R$ 61,4 bilhões) nos gasto públicos.

O consenso foi alcançado menos de duas horas antes da meia-noite (hora de Washington, 1h da manhã em Brasília), prazo em que expirava a medida temporária atualmente em vigor.

Caso não houvesse acordo até esse horário, diversos serviços do governo considerados não-essenciais teriam de parar de operar e cerca de 800 mil funcionários seriam mandados para casa sem receber pagamento.

Logo após o anúncio do entendimento no Congresso, o presidente Barack Obama fez um breve pronunciamento, transmitido pela TV, agradecendo aos líderes dos dois partidos. "Americanos de diferentes opiniões se uniram", disse. "Hoje, nós agimos em benefício do futuro dos nossos filhos."

Divergências

As operações do governo americano vêm sendo financiadas por medidas temporárias desde 1º de outubro do ano passado.

Os republicanos vinham defendendo cortes maiores no orçamento com o objetivo de reduzir o déficit orçamentário dos Estados Unidos, atualmente de US$ 1,4 trilhão (cerca de R$ 2,2 trilhões).

Os democratas (que pertencem ao partido de Obama) já haviam antes aceitado cortar mais de US$ 33 bilhões (cerca de R$ 52 bilhões) sobre os gastos do ano passado até o fim do ano fiscal, em 30 de setembro, mas a oposição republicana queria cortes de mais de US$ 60 bilhões (cerca de R$ 94,5 bilhões).

No entanto, democratas afirmaram que, além das divergências sobre o tamanho dos cortes, os republicanos também querem incluir no projeto de orçamento outros temas, como novas regras sobre aborto.

Os republicanos, que controlam a Câmara dos Representantes (deputados federais), já haviam aprovado nova medida temporária para financiar o governo, com previsão de cortes de US$ 12 bilhões (cerca de R$ 19 bilhões) nos gastos em uma semana.

Obama, porém, disse que o governo americano não pode mais continuar operando na base de medidas aprovadas semana a semana, e afirmou que iria vetar o projeto republicano.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet