Economia britânica pode 'respirar' com casamento real, dizem analistas

PA Direito de imagem PA
Image caption Canecas comemorativas: vendas esperam lucro com casamento

Em um momento em que a Grã-Bretanha enfrenta uma das mais graves crises de sua história, o casamento do príncipe William e Kate Middleton poderá dar um impulso à economia britânica - com turismo, vendas e comunicação entre os setores mais beneficiados.

Analistas de varejo estimam que cerca de 707 milhões de euros (cerca de R$ 1,6 bi) sejam gastos na Grã-Bretanha como resultado do casamento. Segundo projeções, donos de restaurantes e hotéis podem esperar dois anos de aumento nas cifras do turismo, com o casamento em 2011 seguido pelas Olimpíadas, em 2012.

Empresas de mídia também podem esperar números de audiência excepcionais. Alguns economistas acreditam que o evento possa até mesmo estimular a confiança dos consumidores, levando pessoas a gastar mais.

"Eventos extemporâneos podem aumentar a sensação de bem-estar econômico, além de outras sensações de bem-estar", diz o professor Stephen Lea, da Universidade de Exeter, especializado em psicologia econômica.

Mas alguns são mais cautelosos, afirmando que os gastos serão tanto modestos quanto temporários.

Segundo eles, o casamento real não deve mudar o rumo da economia britânica, que encolheu 0.5% no trimestre final de 2010.

Além disso, afirmam, qualquer benefício vindo do evento pode ser ofuscado pela perda de produtividade durante o feriado decretado no dia do casamento pelo premiê David Cameron.

Alguns especialistas advertem inclusive para o risco de que o feriado extra, somado à Semana Santa e ao 1º de Maio, possa significar uma perda do equivalente a 0.25% do PIB do segundo trimestre.

Mas o governo e boa parte dos analistas econômicos estão otimistas. O professor Stephen Lea afirma que embora muitos consumidores tenham sido diretamente afetados pela recessão - ou temam vir a ser - existe um grande grupo de pessoas que simplesmente foram afetadas pela atmosfera de pessimismo.

Essas pessoas, que podem ter melhorado de situação este ano e esperar circunstâncias ainda melhores no ano que vem, ainda tendem a controlar seus gastos. Segundo Lea, muitos neste grupo podem vir a gastar mais em bens eletrônicos, em melhorias na casa e em outras coisas que seriam adiadas em outras circunstâncias.

"A grande vantagem é que geralmente essas pessoas não estão tomando dinheiro emprestado, e sim gastando economias ou o excesso vindo de um aumento de renda", diz ele.

'Efeito halo'

De acordo com uma pesquisa recente da junta de turismo Visit Britain, a atração da realeza já é responsável por £500 milhões (cerca de R$ 1,2 bilhão) de lucro por ano em tempos normais.

"Nossa cultura e reputação são muito fortes ao redor do mundo", diz o porta-voz da Visit Britain, Paul Eastham. "No centro disso está a monarquia".

Ele observa que, em 1981, o casamento de Charles e Diana foi citado como razão mais provável para uma visita de turistas à Grã-Bretanha.

Os números da audiência internacional para o casamento de Charles e Diana foram estimados em mais de 750 milhões de pessoas.

"As pessoas gostam de estar no local quando eventos históricos acontecem", disse ele, afirmando que o casamento de William e Kate deve produzir "um aumento muito positivo no que vemos normalmente (em termos de turismo)".

Image caption Pratos comemorativos estão entre os souvenires

Ele também minimiza temores de que o casamento em 2011 possa roubar turistas das Olimpíadas em 2012.

"Do nosso ponto de vista é quase ideal", disse ele, afirmando que haverá um "efeito halo" para a Grã-Bretanha, que estará mostrando duas de suas forças no que diz respeito ao turismo: pompa e circunstância seguidas de um evento de esportes high-tech.

O momento do anúncio do noivado foi ótimo para empresas de varejo especializadas em itens comemorativos da família real.

A UK Gift Company, especializada na venda de souvenires reais, espera um aumento de 30% a 40% em vendas.

Algumas lojas como a Woolworths se anteciparam à demanda por pratos e canecas, de acordo com o diretor Stephen Church.

Ele afirmou que fabricantes de porcelana podem pôr à venda itens com preços que variem de £5 (R$ 12) a £1 mil (R$ 2.542).

Church afirma ainda que ficou surpreso com a demanda por esse tipo de produto vinda de pessoas de faixas etárias diferentes.

A geração mais velha tende a gostar mais, mas jovens homens também podem se sentir atraídos a comprar produtos como abotoadeiras, para marcar a ocasião, afirmou ele.

O jogo das canecas Há quatro anos, a cadeia de lojas Woolworths estava tão confiante em um noivado do casal que produziu canecas e pratos comemorativos.

A relação sobreviveu, mas a Woolworth não - com as lojas finais fechando em janeiro de 2009.

A longevidade da memorabilia é também óbvia para produtos ainda à venda na internet, de outros casamentos reais.

Uma rápida olhada mostra que há pratos comemorando o casamento dos pais de William por £19.50 (cerca de R$ 50).