China registra primeiro déficit comercial em sete anos

Trabalhadora chinesa da indústria têxtil (Foto: AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Alta do yuan torna produtos chineses mais caros e barateia importações

A China registrou nos primeiros três meses deste ano o seu primeiro déficit comercial trimestral em sete anos, informaram nesta segunda-feira as autoridades chinesas.

As importações superaram as exportações em US$ 1,02 bilhão. No mês de março, o país teve um pequeno superávit de US$ 140 milhões.

Os números refletem a política chinesa de tentar aquecer a demanda interna para compensar a sua economia, até então voltada primordialmente para as exportações.

Entretanto, analistas ressaltaram que as estatísticas podem estar mais relacionadas à baixa demanda em mercados-chave para a China, como os EUA e a Europa, não necessariamente indicando uma reversão da tendência dos anos anteriores.

"As exportações da China devem continuar aquecidas nos próximos meses à medida que a demanda se recupera nos Estados Unidos e na Europa. O país deve registrar superávits comerciais nos próximos meses", disse o analista Wang Hu, da corretora Guotai Jun'an, de Xangai.

<b>Efeito tsunami</b>

Por outro lado, o próprio governo expressou a preocupação com os efeitos do terremoto e do tsunami no Japão, que devastaram vastas áreas de um dos principais parceiros comerciais da China.

Analistas dizem que, até que se saiba com clareza a extensão dos prejuízos do desastre natural para a economia japonesa, será difícil estimar o impacto sobre outros países.

O analista Isaac Meng, do banco BNP Paribas, crê que as dificuldades no Japão devem ter um efeito nos números chineses do segundo trimestre.

No longo prazo, crê Wang, da Guotai Jun'an, a própria reconstrução do Japão significará mais demanda para os produtos chineses.

<b>Câmbio</b>

A China tem sido acusada de beneficiar as suas exportações mantendo uma taxa de câmbio artificialmente baixa, o que torna seus produtos mais baratos no exterior.

Nos últimos 12 meses, entretanto, o yuan se valorizou 4% em relação ao dólar, sendo cotado nesta segunda-feira a pouco mais de 6,54 por dólar.

A alta do yuan tem barateado as importações e ajudado o governo a combater a inflação doméstica.

Notícias relacionadas