Cultura

Fotógrafa retrata adolescentes em seus quartos nos EUA e no Oriente Médio

Galeria de fotos: Adolescentes do Ocidente e do Oriente

  • Foto: (c) Rania Matar
    A convivência com a filha adolescente inspirou a fotógrafa Rania Matar retratar garotas de 15 a 20 anos em seus quartos nos EUA e no Oriente Médio. Na foto, Devin, de 17 anos, em Winchester, Massachusetts, nos EUA. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Segundo a fotógrafa, a série 'Uma menina e seu quarto' mostra como "as garotas são, ao mesmo tempo, tão parecidas e tão diferentes". Acima, Lilly, de 15 anos, em sua casa na cidade de Brookline, no estado de Massachusetts (EUA). Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Bisan, de 16 anos, mostra seu quarto na cidade palestina de Belém, na Cisjordânia. Para Matar, as imagens mostram "jovens mulheres lidando com a pressão que surge quando você se torna consciente do mundo ao seu redor". Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    A americana Rocio, de 17 anos, é uma das uma das 300 garotas já fotografadas por Rania em 2 anos. A adolescente, grávida na época desta foto, vive em Dorcester, Massachusetts. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Matar diz que, inicialmente, pensou em fotografar as garotas em grupo, mas percebeu que elas se sentiam mais confortáveis em seus próprios quartos. A garota Amal (foto), de 15 anos, vive no campo de refugiados Chatila, em Beirute. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Segundo a fotógrafa, os pôsteres, bichos de pelúcia, espelhos, maquiagens e objetos davam às meninas a sensação de segurança, como se o quarto fosse uma espécie de útero. Krystal, de 17 anos, em sua casa em Boston, Massachusetts. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Inicialmente, o ensaio incluia somente meninas americanas, da região de Boston, nos Estados Unidos, onde vive a fotógrafa. A foto mostra Jess, de 20 anos, em sua casa, em Boston. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Matar, que é libanesa, decidiu levar o projeto para o Oriente Médio e fotografou meninas no Líbano e em territórios palestinos. Na foto, Hala, de 20 anos, no campo de refugiados Chatila, em Beirute. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    A fotógrafa disseque as imagens mostram as diferenças, mas também as semelhanças entre meninas que vivem em realidades tão distintas. Acima, Christilla, de 19 anos, na cidade de Rabieh, no Líbano. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    O projeto, que já dura dois anos, passou a incluir também algumas adolescentes europeias, que continuam a ser fotografadas por Rania Matar. A garota Elham, de 18 anos, vive no campo de refugiados Shatila, em Beirute. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Para a fotógrafa, a atitude confiante e desafiadora que as meninas assumem em público se modifica quando elas estão em seu espaço privado. Acima, Izzy, de 18 anos, em seu quarto em Brookline. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Matar diz que precisou passar algum tempo a sós com cada adolescente, para que elas se sentissem confortáveis e colaborassem com o ensaio fotográfico. Acima, Stephani, de 16 anos, em Beirute. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    A fotógrafa nota que a quantidade de maquiagens, roupas e pôsteres nos quartos das garotas, que demonstram a passagem para a vida adulta, estão quase sempre ao lado de bichos de pelúcia, que denunciam a saída recente da infância. Na foto, Ai, de 19 anos, em sua casa em Boston. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    A fotógrafa libanesa realiza diversos trabalhos relacionados com mulheres e crianças do Oriente Médio, em especial nos campos de refugiados palestinos. A foto mostra Sarah, de 17 anos, no campo de Shatila, em Beirute. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Tanto as meninas ocidentais quanto as orientais, segundo Rania Matar, parecem lidar com o mesmo tipo de pressões e expectativas nesta fase de amadurecimento. Na foto, Emma, de 18 anos, que vive em Brookline, Massachusetts. Foto: Rania Matar
  • Foto: (c) Rania Matar
    Um dos projetos de Matar é fotografar seus quatro filhos em diversos estágios do crescimento. Sua filha mais velha, Lara, serviu de inspiração para as imagens desta galeria. Acima, Becca, de 17 anos, em seu quarto em Winchester, Massachusetts. Foto: Rania Matar

O projeto "Uma menina e seu quarto", da fotógrafa libanesa Rania Matar, mostra garotas adolescentes, entre 15 e 20 anos, em seus quartos nos Estados Unidos e no Oriente Médio.

Matar, que se inspirou na própria filha adolescente, já fez retratos de 300 garotas nos Estados Unidos, no Líbano, em territórios palestinos e em países europeus.

"Quando observo minha filha com suas amigas, fico fascinada com a transformação que está acontecendo, com a formação da personalidade adulta e a insegurança que estão substituindo o mundo sem preocupações em que estas garotas viviam", diz a fotógrafa.

O projeto, que já dura dois anos, começou como um ensaio fotográfico da região de Boston, nos Estados Unidos, onde vive.

No entanto, Matar decidiu fotografar também adolescentes do Oriente Médio. Recentemente, ela começou a fotografar também meninas de países europeus.

"Todas as vezes em que acho que já posso passar a outro projeto, eu fotografo uma menina e encontro uma nova pessoa, e percebo o quanto ainda posso descobrir sobre essas garotas."

A fotógrafa diz que, inicialmente, quis fotografar as meninas em grupos, mas percebeu que elas se sentiam mais confortáveis em seus espaços privados.

Matar realiza diversos trabalhos relacionados com questões femininas. Seu primeiro livro, Ordinary Lives ("Vidas comuns", em português), mostra fotos de mulheres e crianças no Líbano e em campos de refugiados palestinos.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.