Egito ordena dissolução de partido de presidente deposto

Mubarak/AP Direito de imagem AFP
Image caption Mubarak está internado e com estado de saúde debilitado

A Justiça do Egito determinou que o antigo partido do ex-presidente Hosni Mubarak, o Partido Democrático Nacional, seja dissolvido e tenha todos os seus bens apreendidos pelo governo.

A ordem da Corte Suprema Administrativa atende a uma das exigências das manifestações que culminaram com a queda de Mubarak em fevereiro. Não foram divulgados os detalhes da decisão.

O PDN dominava a política egípcia desde a sua criação, em 1978, por Anwar Sadat, antecessor de Mubarak.

O líder derrubado nas recentes ondas de protestos ficou mais de 30 anos no poder e agora está detido em um hospital em estado de saúde debilitado.

Ele será interrogado pelos investigadores egípcios por acusações de corrupção.

Leia na BCB Brasil sobre as acusações contra Mubarak

Seus dois filhos, ministros de seu governo e várias autoridades de seu período no poder também terão de enfrentar alegações de crimes públicos.

O ex-presidente e sua família estão proibidos de deixar o país.

Em uma mensagem gravada no domingo, Mubarak quebrou o silêncio de quase dois meses dizendo que sua reputação e a de seus filhos havia sido prejudicada e que ele lutaria para limpar o nome da família.

Desde que deixou o poder, o ex-presidente passou a viver em Sharm El-Sheikh e vem adotando uma postura discreta desde então, evitando declarações em público sobre a situação atual do país.

Notícias relacionadas